ALMOÇO / CONVÍVIO

ALMOÇO / CONVÍVIO

Os futuros almoços/encontros realizar-se-ão no primeiro Sábado do mês de Outubro . Esta decisão permitirá a todos conhecerem a data com o máximo de antecedência . .
.
.

PROFESSORES ENTRE 1965 E 1972 (em forma de diálogo)

.
.
.
Estamos em busca de uma listagem completa dos professores entre 1945 e 1973. Identificámos já a maioria dos professores entre 1958 e 1965. Alargamos aqui a lista ao período 1965 e 1972, mas faltam nomes, continuo a acrescentar depoimentos.
..............................................................................................................................
.
Continuemos então o esforço deste puzzle de memória:
.
1 - O Dr. Serafim foi professor de Ciências no 1º ano (1965/66). Excelente professor, também nesta disciplina. Lembro-me de ter ficado fascinado com o resultado das, para mim inéditas, observações no microscópio. Era quando ainda se falava de «ficção científica»; agora é mais ciência fictícia, como dizia um cómico brasileiro. O Óscar não está recordado mas posso garantir que o Dr. Lopes foi o Professor de Geografia do nosso 3º ano (1968). Assim, fui o primeiro a ser chamado ao quadro logo no início e mais tarde apanhado num aviltante copianço, estória já relatada neste prezado sítio.
.
2 - A tal de Lígia, se calhar era Lídia. Já não sei! O Alberto veio reavivar a memória desses extraordinários percursos que, pouco a pouco e com suaves deslizadelas das carteiras, num dado momento, se encontrava toda a gente apinhada ao fundo da sala como sardinhas em lata, enquanto um vasto deserto se estendia até ao estrado, ermo onde a dita cuja profa perorava bacoradas perante uma turma que oscilava entre a indiferença hostil e o gozo geral, rebolado e assanhado. O Mário Xavier tem uma história, para contar aqui, sobre estas peripécias...
.
3 - A Drª Helena, que o Miguel BM muito bem lembrou, veio a casar com o Zé Maria, (uma das pessoas que tinha vindo para o ERO com o Padre Albino, e que trabalhava na Secretaria), tendo ido depois viver para Setúbal.
.
4- Creio que quando a Drª Inês teve o primeiro filho, num curto período tivemos a Drª Isabel Sá Lopes como professora de Inglês.
.
5- Difusamente, e agora que o Óscar mencionou o assunto, surgiu-me uma vaga idéia de o Dr. Sanches ter decidido (e bem) que não estava mais para nos aturar e ter sido substítuído já na ponta final do ano. Alguém confirma, desmente ou esclarece?
.
.
Zé Carlos Faria
.
..........................................................................................................................
.
Oscar disse:
.
Ora então, tentando avivar a memória, aqui vai o meu contributo para a lista do Zé Carlos Faria, pela ordem das disciplinas que ele refere:
.
Matemática
.
Tudo certo, à excepção do 1.º ano (65/66), que foi o dr. Figueiredo Lopes.
.
Físico-Químicas
.
Quem fez a alínea f), seguiu com o dr. Serafim até ao 7.º ano (71/72).
.
Geografia
.
1 - O dr. Domingos Garcia Domingues (O JJ tem razão... um notável arabista, natural de Silves, cujo nome, naquela data, já constava da Enciclopédia Luso-Brasileira) só foi nosso pofessor de História, julgo que no 5.º ano (69/70);
2 - Num dos anos, presumo que no 4.º (68/69), o professor foi o Padre Renato. Recordo que, com as suas principais preocupações centradas na língua portuguesa, fizémos um ponto em que ele, com alguma antecedência, nos deu as perguntas e respectivas respostas, cuidadosamente redigidas. O desafio consistia, por isso, na integral reprodução das respostas que o Padre Renato tinha fornecido;
3 - Também não me recordo do dr. Figueiredo Lopes me ter dado Geografia, até porque tenho a ideia que ele esteve fora do país nos nossos 3.º, 4.º e 5.º anos (1967 a 1970).
.
Desenho
.
1 - Até ao 5.º ano só tenho a certeza que no 2.º (66/67) foi o escultor (como gostava de ser chamado) Loureiro;
2 - Quem fez a alínea f) teve o dr. Figueiredo Lopes no 6.º ano (70/71) e o arq.º José de Sousa no 7.º (71/72).
.
Ciências
.
Que me recorde, julgo que a professora foi sempre a dr.ª Cristina, nunca tendo sido o dr. Serafim.
.
Francês
.
Era uma daquelas que me parecia concordar inteiramente com o ZCF, mas o comentário do Miguel BM trouxe-me à ideia, de facto, uma dr.ª Helena, pelo que tenho dúvidas.
.
Inglês e Educação Física
.
Concordância integral com o ZCF.
.
Alemão e Latim
.
Como escolhi a alínea f), não tive.
.
História
.
1 - Já atrás falei do dr. Garcia Domingues;
2 - Confirmo a dr.ª Ermelinda, quase de certeza no 4.º ano (68/69);
3 - Não tenho ideia de quem deu o 3.º ano (67/68).
.
Filosofia
.
O ZCF só tem razão na dr.ª Deolinda no 7.º ano (71/72).
No 6.º (70/71), o professor foi o Padre Xico.
.
Português
.
Nem de algumas coisas que o ZCF diz me recordo e já falei atrás da dr.ª Helena, que o Miguel BM lembrou. A dr.ª Júlia, penso que não foi minha professora, pelo que terá sido dele nos 6.º e 7.º anos (70/72).
.
Lembram-se que quem ia para Ciências, o Português acabava no 5.º ano (agora têm todos, no mínimo, mais 3 anos, não se percebe bem para quê, tal é a forma como alguns escrevem...).
.
Religião e Moral
.
Nunca tive o Padre Albino como professor (pelo menos que me recorde). Além do Padre Xico, lembro-me do Padre Vicente, que era de cor.
.
OPAN
.
À semelhança da Filosofia, o ZCF tomou a parte pelo todo. O dr. Sanches só foi nosso professor no 6.º ano (70/71), já que no 7.º (71/72) foi a dr.ª Noémia.
.
Foi um enorme gosto efectuar este exercício de memória e só espero que ma vão avivando e, eventualmente, emendando algumas das afirmações que fiz atrás que, embora para mim me pareçam verdades absolutas, até podem não ser.
.
Oscar
NOTAS:
1 - O Dr. Lopes esteve no Colégio entre 1967 e 1970 e deu até Geografia em 1968. Tenciono abordar esse tema num artigo separado.
2 - O Dr. Sanches foi sempre o prof de OPAN, ninguém corrobora essa tua memória da Noémia a dar a disciplina.
3 - Sim, o Padre Xico deu Filosofia a esse 6º Ano. Mais precisamente Psicologia, que constituía a matéria. Eu, que tive a Super, garanto-te que não perdeste nada...
....................................................................................................................

Alberto Reis Pereira disse:

À lista do Zé Carlos Faria acrescentaria:

O Arquitecto José de Sousa foi Professor de Geometria Descritiva do 7º ano em 71/72

O Padre Xico foi Professor de Filosofia do meu 6º ou 7º ano; a Dr.ª Deolinda também o foi num destes anos, não me recordo quem foi quem em que ano. (Xico no 6º, Super no 7º. JJ)



O Dr. Serafim foi Professor de Matemática e Fisico-Química em 70/71 e 71/72 dos 6º e 7º anos.

A Dra. Cristina continuou a ser Professora de Ciências Naturais nestas mesmas circunstâncias do Dr. Serafim.

O Dr.Garcia Domingues creio que era mais conhecido por "pancinhas" se não estou equivocado. Depois de se ter a Dra. Ermelinda como Professora nos 3º e 4º anos, apanhá-lo no 5º foi dose....

A Dra. Lígia era qualquer coisa. O Zé Carlos Faria foi muito, mas mesmo muito, simpático nos adjectivos.
Talvez ele se recorde da "movimentação" das carteiras da frente para o fundo da sala ao longo daquelas interessantíssimas aulas.
Além disso esta Senhora tentava assustar-nos garantindo que sabia linguagem labial, por isso nada lhe escaparia; não sei se a sua curta passagem pelo ERO teve a ver com este facto, o certo que tal habilidade, a existir, muito deve tê-la incomodado pelas palavras não ditas, apenas articuladas, que a partir daí perpassaram pelos lábios do pessoal.

Um abraço
Alberto

(Nunca conheci essa Dra. Lígia, parece-me um cromo interessante que me ficou a faltar na colecção...JJ)

.

..........................................................................................................................

Zé Carlos Faria disse:

Então cá vai o que me lembro (espero não estar a fazer confusão):

MATEMÁTICA - Dr. Azevedo (1965/67), Dr. Jaime Serafim (1967/70)

FÍSICO-QUÍMICA - Dr. Serafim (1968/70)

GEOGRAFIA - Dr. Figueiredo Lopes, Dr. Garcia Domingues(?)

DESENHO - Dr. Lopes

CIÊNCIAS NATURAIS - Dr. Serafim (1965/67), Drª Cristina (1967/70)

DESENHO À VISTA - Padre Renato, Prof. Loureiro

FRANCÊS - Drª Cândida (1965/67), Mme Nicole Ballu Loureiro (1967/70)

INGLÊS - Drª Inês (1967/70)

ALEMÃO - Drª Cármen

LATIM - Padre Renato (1970/72)

HISTÓRIA - Drª Noémia, Padre Albino (?), Dr. Garcia Domingues. Houve uma outra cujo nome não recordo (Ermelinda?) cujo namorado implementava rutilante Lotus azul metalizado. Disso não me esqueci!

FILOSOFIA - The one and only _Su_per!

PORTUGUÊS - Padre Renato, Drª Cândida, Drª Lígia (uma verdadeira peça de artilharia com a sensibilidade de um penedo), Drª Júlia

RELIGIÃO & MORAL - Padre Xico, de certeza. Creio que também Albino, mas não estou seguro. Felizmente agora deixou de ser obrigatória a dita cuja, tendo em conta a laicidade do Estado Português.

OPAN - Dr. Sanches. A farsa começava logo na 1ª linha do livro: Portugal era uma República «democrático-orgânica» (como eufemismo não estava mal) .

EDUCAÇÃO FÍSICA - Prof. Silva Bastos

E pronto.

..............................................................................................................................................................


João Jales disse:


José Domingos Garcia Domingues era professor de História. Um dos mais conhecidos professores do colégio, parece que um notável arabista, passou por lá algo despercebido. Deu-te Geografia além de História?

A Ermelinda, grande professora de História e Português, namorava efectivamente o dono de um Lotus Elan (eu nem ligo muito, mas aquele era um carro lindíssimo). Foi minha profa. Também não sabes o apelido?

Não te lembras se o Albino te deu História? Não é possível não te lembrares, tal a "seca" que as aulas constituíam: era uma experiência traumática e inesquecível! Se não te lembras, é porque não a sofreste.

A Lígia é que eu não sei quem é. Em que ano(s) esteve lá?

..........................................................................................................................


.
Zé Carlos Faria disse:

Se não estou em erro, o Garcia Domingues (1910/1989) foi meu professor nas duas disciplinas. Tinha sido Inspector Nacional de Educação e figura grada do Regime, quando o Marcelo era Comissário da MP e depois caído em desgraça política. Quando o apanhámos, coitado, as ameaças de caquexia já se faziam sentir. Encontrei em Évora um dos seus livros («Portugal e o Al-Andalus») que me apressei a comprar e que continua a ser uma das abordagens essenciais para a compreensão daquele período histórico.

A dita Lígia foi uma presença fugaz (para aí em 68-69), incompetente sem remissão, e, com o devido respeito, assim com um look piroso para além do que era suportável.
Estou de acordo – a Ermelinda era grande professora e capaz de lidar com os alunos de forma deslocada e descolada da ortodoxia vigente.

............................................................................................................................
.
São Caixinha disse:
.
É inútil tentar preencher a lista de professores porque vejo que a Júlia, a Isabel V.P. e o José C. Faria já o fizeram e muito mais correctamente do que eu alguma vez o faria. Fico verdadeiramente surpreendida com a extraordinária memória de alguns ex-colegas!!
.
Curiosamente, apesar do pouco que retenho no que se refere a nomes e datas, consigo recordar-me de duas professoras da Instrução Primária que não foram mencionadas. Em 1960 quando entrei para a escola a nossa primeira professora era a prof.Joana! Dela recordo apenas o nome e que, como personalidade, era no que me diz respeito uma verdadeira peste! "Embirrou" tão sériamente comigo que depressa fez despertar em mim um desmedido medo da sua indesejável presença e tal aversão pela aprendizagem que os meus pais se viram forçados a tirar-me da escola a meio do ano!! Começei bem, como vês!!
.
Lembro-me ainda de alguns colegas desse primeiro (meio!) ano de escola, como o Zé Luís Azevedo ,que não se inibia de um condescendente comportamento que me proporcionou valioso conforto naqueles dias amargos e um rapazinho que se chamava Luís, filho do Sr. Henrique que prestava em part-time serviços de manutenção das instalações do Colégio e que por "coincidência" também era vitíma dos discutíveis métodos didácticos da prof.Joana!
.
No ano seguinte, quando reentrei para a escola, tive como professora a D.Manuela (já mencionada no blogue, mas não nesta lista) uma senhora idosa que tranquilamente soube restaurar (pelo menos em parte) a minha confiança no corpo docente.
.
Já agora, e apenas por curiosidade, menciono a D. Margarida, óptima professora do ERO que, mais tarde, na 4a classe, também dava explicações em sua casa ( morava no Borlão) a um grupo de alunos que me íncluia!
.
Por agora é tudo! Beijinhos e até breve!
.
São Caixinha
...........................................................................................................................
.
Miguel Bento Monteiro disse:
.
Em relação a lista de profs que o JCFaria elaborou falta a Helena que nos deu francês no 5º ano.Creio que tb lecionava português, mas a outros anos.
...........................................................................................................................
.
Manuela Gama Vieira disse:
.
Dos meus Professores do Colégio já falei daquele que me marcou profundamente, o Senhor P.e Renato; aquele de quem até já me esqueci a "pessoa" que era...:o P.e Albino, por sinal meu prof. de História. A ele devo ter detestado a cadeira de História, um bonito serviço, não acham? Gramei, desculpem-me o termo, 3 anos de história com ele. A ouvi-lo falar das fantásticas viagens que fazia e dos esplêndidos hotéis onde ficava, com vistas já nem sei para onde!
A D. Margarida, sim senhor, lembro-me muito bem dela, não como Professora no Colégio, mas como minha explicadora. E mais...no dia 25 de Abril de 1966, ao sair da explicação, ao chegar a casa, já não encontrei a minha Mãe! Tinha acabado de ir para o Montepio, o meu irmão Luís Filipe estava com pressa de nascer. A minha "tarde extraordinária", associada à Senhora D. Margarida que muito me ensinou, a quem tanto devo,recordo-a com o maior carinho, gostava de saber dela!
.
Manuela Gama Vieira
.

1 comentário:

Manuela Gama Vieira disse...

Dos meus Professores do Colégio já falei daquele que me marcou profundamente, o Senhor P.e Renato; aquele de quem até já me esqueci a "pessoa" que era...:o P.e Albino, por sinal meu prof. de História. A ele devo ter detestado a cadeira de História, um bonito serviço, não acham? Gramei, desculpem-me o termo, 3 anos de história com ele. A ouvi-lo falar das fantásticas viagens que fazia e dos esplêndidos hotéis onde ficava, com vistas já nem sei para onde!
A D. Margarida, sim senhor, lembro-me muito bem dela, não como Professora no Colégio, mas como minha explicadora. E mais...no dia 25 de Abril de 1966, ao sair da explicação, ao chegar a casa, já não encontrei a minha Mãe! Tinha acabado de ir para o Montepio, o meu irmão Luís Filip e estava com pressa de nascer. A minha "tarde extraordinária", associada à senhora D. Margarida que muito me ensinou, a quem tanto devo,recordo-a com o maior carinho, gostava de saber dela!
Manuela Gama Vieira