ALMOÇO / CONVÍVIO

ALMOÇO / CONVÍVIO

Os futuros almoços/encontros realizar-se-ão no primeiro Sábado do mês de Outubro . Esta decisão permitirá a todos conhecerem a data com o máximo de antecedência . .
.
.

E AGORA ?

.
.
Estão publicadas as fotografias do nosso Encontro de 2009. São quatro álbuns, num total de cerca de mil fotos. Está no Blog um pequeno filme em 3D do início da reunião e esperamos ter ainda a possibilidade de oferecer aqui o "concerto" que se realizou durante a tarde. E agora?
.
Este Blog foi inaugurado em Novembro de 2007, declarando-se na altura que ele se destinava a promover e divulgar o Encontro desse ano e um outro, desde logo anunciado para dois anos mais tarde. O Blog cumpriu pois a sua função, contribuindo para dois dos mais participados encontros de sempre e permitindo a divulgação das imagens desses eventos, recuperando e coligindo no intervalo as imagens, a história e as estórias do ERO entre 1945 e 1975. E agora?
.
Agora este Blog é um espaço colectivo, não pertence apenas a quem o criou e planeou declará-lo encerrado neste final de Novembro de 2009. É pois preciso saber o que o colectivo de colaboradores (alguns que nem sequer frequentaram o ERO) pensa sobre o que fazer. Haverá mais temas para novas séries, mais fotografias e memórias para partilhar, pessoas disponíveis para colaborar e continuar? Ou este é, conforme planeado, o momento certo para o encerramento? É uma decisão colectiva. E agora?

.
João Jales
.
.
Comentários
.
Fátima Clérigo disse...
Como “seguidora “ atenta e Admiradora deste Maravilhoso Grupo de Ex-Alunos do ERO, permitam-me um comentário : Foi com alguma surpresa que me deparei com a questão – “E Agora?” Soou-me a derradeira…e nunca imaginei que este Blogue tivesse um fim anunciado.
O Vosso almoço/convívio constituiu (na minha modesta opinião) a maior expressão de União, de Reencontro, de Partilha, de efectiva Celebração de Vidas em Comum, com todas as emoções expressas na panóplia de comentários que lhe sucederam e na alegria patente nos bonitos rostos de todos, traduzidos em sorrisos, abraços, música e dança… AFECTOS !
É por demais evidente a riqueza Humana dos Ex-Alunos do ERO, os diversificados talentos: literários, musicais, narrativos, artísticos, etc., que não devem de forma alguma ser “desperdiçados”.São “deliciosas” as Vossas estórias e as emoções expressas ao longo do tempo, sentem-se…
Estou convicta que muitos temas existirão para “alimentar” este Blogue e os talentos de todos manter-se-ão certamente vigorosos.
Penso que é unânime a convicção de que o JJ tem tido um notável Contributo, também ele diversificado, para manter viva a “chama” deste Blogue…Os meus sinceros Parabéns !
Só posso sentir-me agradecida por poder disfrutar deste Vosso “Mundo” e “observar” esta magnífica “corrente de mãos dadas”…Se me é permitido, deixo-Vos um pedido: permitam que a Vida deste Blogue perdure…Perante a questão: E agora ? E agora… nem pensar em alterar as reticências para um ponto final. Se puder de alguma forma contribuir… cá estarei.
Um Abraço a Todos
Fátima Clérigo
.
vasco disse...
podes continuar com a a ajuda de sempre
.

J.L. Reboleira Alexandre disse...
Caro JJ, em relação a este « E Agora ?» certamente que te lembras daquele icone publicitário, da nossa juventude:
E agora ? agora, bate-chapas e tinta Robialac !
O trabalho dos primeiros dispensamos pois salvo algumas, raras, excepções, a nossa «chaparia» está aí para as curvas. Quanto ao trabalho de pintura propriamente dito, uns ligeiros retoques aqui e ali na cosmética de alguns seria hipótese a considerar, sem com isto qurer dizer que é mesmo necessário. Afinal como diz a Fátima Clérigo no seu comentário, continuamos com os nossos, e transcrevo, bonitos rostos. Elas sobretudo, claro.
Sei que novas ideias, e novos temas aparecerão, e a pouco e pouco alguns dos «hidden readers» do blog do ERO nos irão surpreender com a partilha das suas estórias.Já houve momentos muito altos neste local e estou certo de que muitos outros estão ainda para vir.
Abraço
.
Luisa disse...
EU QUERO O MEU BLOGUE!
Não me lembro nada de teres dito que ia acabar em 2009 e se ja marcaste o próximo encontro para 2011 não faz sentido acabar agora!
Beijo.L
.
Oscar disse...
João
Definitivamente, o blog NÃO pode acabar!Apesar de já terem passado dois anos, vão sempre surgindo novas e novas histórias, recordações e reencontros, pelo que tudo o que de bom tem acontecido nesta comunidade apenas pode prenunciar que a continuação do blog nos fará reviver cada vez mais novas situações passadas há muitos anos.
Não quero perder o hábito diário do nosso encontro no blog, embora a esmagadora maioria das vezes como espectador.Fica desde já aqui o compromisso de, à medida das minhas disponibilidades de tempo, enviar muitas fotografias antigas que tenho, a maioria das quais da viagem de finalistas de 1972 (tiradas pelo Padre Xico e por mim).
Um abraço
Óscar
.

Isabel disse...
João
Que grande análise!Por mim, devo dar-te os parabéns pela iniciativa e, apesar de não contribuir muito, acho que seria de continuar. Apesar de tudo, o blog continua a ser um lugar de encontro de tantos de nós, antigos alunos do ERO.
A tua imaginação, que já provou ser muito fértil, encontrará outros temas a partilhar e a comentar. Além disso, ainda falta a tão pedida legendagem das fotografias do último encontro. Há ali gente cujas caras me dizem alguma coisa, mas não sou capaz de identificar; por outro lado, há nomes que estiveram no encontro e que eu não reconheci nas fotografias, como é o caso, por exemplo, do Zé Manel Paes e do Rui Mouga.
Isabel VP
.
Júlia disse...
E agora!Confesso que não esperava esta palavra,mas vou repeti-la para dizer: "e agora" vamos continuar...Não podemos nem devemos deixar que a Familia ERO se desmembre.
Durante estes dois anos,ficou aqui bem demonstrado o quão importante foi este blogue.
Ao ler e relembrar um ou outro artigo e respectivos comentários,aqueles encontros e Reencontros maravilhosos,as emocões e afectos,e...tantas coisas e tão lindas,o nosso blogue não pode ter um FIM! Ideias..não faltarão!
Caros colegas e amigos,que dizem?
João,no que puder e souber podes contar comigo.
Um Grande Abraço
Júlia Ribeiro
.

lauramorgado disse...
João,
Estou muito triste, nunca pensei que o blog era para acabar assim...Eu só soube do blog por mero acaso, culpa minha, pois não ia aos almoços.Mas sempre pensei que era para continuar. Nada indicava que tinha o fim anunciado para Novembro de 2009.
A minha colaboração foi pouca, mas não consigo ter mais disponibilidade.Sei que não tenho a imaginação necessária, para contar estórias.Mas esforçei-me nos comentários.
João o blog não pode acabar, isso significa o fim do nosso convivio.Devo a este espaço o relembrar a parte da minha juventude passada no ERO.No almoço do dia 14 de Novembro, reencontrei colegas que não via desde 1966 o que foi muito gratificante. Sem o blog nada disto aconteceria!Pensa bem!!!!!
Laurinha
.

João R F disse...
Temas para o Blogue do ERO.
O post "E Agora?", do João Jales, deu-me a entender que havia dificuldade em encontrar novos temas para lançar no Blogue.Não me parece, até porque muitas das conversas que ouvi no Encontro poderiam ser esses novos temas.
O JJ, em busca solitária talvez não os veja, mas todos nós, comentadores, temos de o ajudar; o blogue é o local onde nos encontrámos, reencontrámos e recordámos, e não pode nem deve parar, temos o dever de contribuir para que tal não aconteça.Criar uma comissão, entre nós, será o modo de dar continuidade a todo este processo.
A reunião de 14 de Novembro deve-se ao Coordenador e a nós compete retribuir ajudando a manter o Blogue.Meus caros colegas, reflectir e avançar, criar uma comissão que colabore com João Jales é a minha proposta, estou disponível para ajudar, mas conto com a vossa resposta à minha sugestão.
Um abraço amigo
João Ramos Franco
.
lauramorgado disse...
O João Ramos Franco faz uma boa análise da situação.Concordo com tudo o que ele diz e propõe.Ele pede uma resposta e aqui tem a minha.A minha disponibilidade não é tanto quanto a desejável, mas com boa vontade tudo se faz.
Um abraço grande para todos.
Laurinha
.

Isabel X disse...
É certo que devemos reflectir um pouco antes de responder às questões que nos são colocadas, mas eu sou, talvez, uma natureza impulsiva. E vou responder-te com a sinceridade de quem responde no momento, a quente, sob a primeira impressão, agora que penso nisso: se o blogue deve ou não continuar.
Livra-te disso!
Se te propuseste manter um blogue com um determinado fim e esse fim se cumpriu até muito acima das tuas expectativas, é porque é esta a altura da sua conclusão.
Tudo o que seja prolongar o que tão bons resultados deu, só pode ser baixar o nível. A fórmula vai esgotar-se.
É certo que muitas pessoas lhe sentirão a falta, a começar por ti. Mas mesmo essa falte é boa porque pode significar o começo de uma outra coisa. Quando há um vazio há uma oportunidade de preenchê-lo.Repara que a minha opinião vale o que vale. Não é para eu parecer boazinha, coisa a que não me prendo nunca; mas também não é para ser ostensivamente má, ou do contra, ou desconcertante. É só um aviso amigo que apenas a ti se dirige!
Beijo
Isabel X
.
Ana N disse...
Joãozinho
Vim espreitar e deparei-me com a pergunta - e agora?? Entrei no blog e tive um aperto no meu coração ... achei-o sem vida ...Isto não está a acontecer …não acredito...porquê acabar o blog?
Foi graças a ele que durante estes 2 anos tanta gente se reencontrou e tantas emoções foram vividas!!!!!Quantos episódios passados no ERO de que não teríamos conhecimento se não fosse através de ti? sim eu sei que muita gente colaborou, mas foi através de ti, de todo o teu empenho, imaginação, trabalho, horas tiradas à familia... e a lista não fica por aqui, mas vou passar adiante pois agora, amigo, temos que seguir em frente... o blog não pode acabar João...
Estás cansado, é? Os teus colaboradores não estão a responder como tu gostarias? (mea culpa…, ando sempre aqui “no fio” mas não te esqueço e quando é preciso estou presente ehehehehe), já não há mais temas ? eu não posso acreditar nisso pois a tua imaginação move montanhas...
Viste a quantidade de gente anterior a nós que esteve presente neste almoço de Novembro? (o tempo pareceu-me tão pouco para poder dar um abraço a todos os que conhecia...)Como é que isto foi possível???? A resposta está no blog...Pensa como é que conseguimos reunir mais gente em 2011 se tu desistires? Não desistas ... pela minha parte farei o possível para ser mais presente (nem que seja só para descobrir o pessoal nas fotografias - eheheheh).
Sabes que reencontrei a Ana Lúcia graças a ti?, quando vi o nome tive um feeling que seria ela...fiquei tão contente que quando vi o email não resisti e escrevi-lhe directamente ... ainda há tanta gente para encontrar ... Tanta alegria escondida ... oh cachopo pensa bem, mesmo que não consigas ter a produção que tiveste durante dois anos,não importa… o que importa é continuar.
Ai rapaz agora é que vi as horas… perdi-me no tempo , só pensei que tinha que te responder de imediato ( se tiver erros desculpa mas escrevi ao sabor do que senti ...).
Beijinhos, um abracinho
Ana Nascimento
.

o das caldas disse...
E tb foi graças ao blog que encontrei a Ana com quem não privava há mais de 30 anos e fiz novas amizades.
.
cx disse...
É sempre com relutância que abordamos o fim (ainda que inevitável) das coisas que nos são gratas! E oh...como eu desejaria neste momento ter sugestões de temas que ainda pudessem ser tratados!!
Pois...e agora? Eu também não sei! Sei apenas que se surgirem ideias, podem continuar a contar comigo, e com a minha modesta participação!
Para mim o blog terá continuidade nas amizades que me proporcionou reatar (ou fazer)...e no regresso inevitável ás suas ruas de memórias!!Bem hajam!
São Caixinha
.

Artur R. Gonçalves disse...
Não faço parte do número de ex-alunos ou ex-docentes do ERO. Não me recordo de ter estabelecido na época um contacto especial com essa comunidade académica a que não me sentia vinculado. Vivi os primeiros anos de vida nas CdR, mas não guardei desses tempos pretéritos memórias muito particulares que me fizessem sentir um exilado forçado noutras paragens. Quando descobri, por acaso, o Blog da Escola e, por arrastamento, o do Externato, acabei por ganhar o «vício» de os visitar com alguma frequência. Muito paulatinamente, comecei a recuperar algumas imagens perdidas dos verdes anos da minha infância e juventude. Tem sido um exercício bastante simpático. A tal ponto que depois de ter vencido uma certa resistência inicial, resolvi iniciar-me no envio de pequenos comentários. Nunca ousei propor-vos uma postagem de raiz, mas quem sabe se um dia destes não perderei o receio de ser entendido como um intruso e não me lanço nessa nova aventura. Assim o espaço que estou a utilizar neste momento se mantenha no ar. Com este formato ou com outro alternativo. Sendo assim, atrevo-me a responder directamente à questão que o meu amigo virtual João Jales me enviou esta manhã por correio electrónico.
E agora? Bom, agora é continuar a caminhada com todos os voluntários que já se comprometeram a fazê-lo. Essa parece ser a vontade expressa pela «quase» totalidade dos comentaristas que me antecederam e que com toda a probabilidade me seguirão. A qualidade do produto final só pode depender da qualidade que os seus obreiros lhe imprimirem. A avaliar pelo que já foi feito no passado, não me custa a adivinhar o que o futuro nos poderá ainda reservar.
.
Guida Sousa disse...
No way,John...Out of the question... Over my dead body ... Not in your wildest dreams ... (Este comment pretende também ser uma homenagem à reaparecida Drª Inês).
Viciaste centeanas de pessoas,agora atura-nos...
:-)
.
José Carlos Faria disse:
Eu cá por mim, dentro das minhas modestas capacidades, continuava com o blogue. Quase 170 mil visitas em dois anos, tem um significado preciso, que não é possível ignorar.
Claro, isto é tudo muito bonito, mas tem que haver alguém que coordene (se não, é como diria um amigo meu:. «juntamo-nos todos e vão lá vocês!»). Se o JJ continuar para aí virado, menos mau... compreendo perfeitamente que possa estar cansado, mas haverá maneira de dar uma qualquer ajuda em concreto? E a tal antologia que já se falou diversas vezes, destes dois anos de textos desenhos e imagens?
Há um testemunho incontornável sobre a cidade e um tempo histórico a ela associado que lá está presente. Pelo menos é o que eu acho...
Abraço.
Zé Carlos Faria
.
Laurinda Ferreira disse:
1/12
E agora?! confesso que me custou ler este "e agora?"! Já que não sabem o que fazer com o passado, talvez fosse melhor começarem a relacionar-se pelo presente. O que fazem? Para onde vão? O que vos resta dos sonhos? Continuam a trabalhar para os cumprir? Largaram esses e ganharam outros? Chegou a hora de ser verdadeiramente criativo, ou fechar a loja. Tanta gente! Estão mesmo dispostos a arrumar as botas? Tanto mar! Apesar de estar fechada em casa, sem o poder ver e cavalgar!
2/12
Desculpa a acutilância da mensagem anterior, mas fico sempre muito irritada quando vejo baixar os braços perante algo que considero importante. O que parece violência é apenas veemência...Já há tantos desistentes neste país!
Temas? A Inês saiu para a rua com a máquina fotográfica e as fotos delas despoletam, certamente, memórias e emoções. Porque não construir algo com base em imagens do presente, sem obrigatoriamente remeter para a experiência comum do ERO?
Apercebi-me de que, como eu, muitas pessoas que nunca frequentaram o ERO visitam este espaço, talvez seja uma forma de as inserir no blog sem que se sintam fora do tempo e do espaço. A realidade que conheceram, enquanto alunos do ERO, limitou-vos o conhecimento de outras realidades. Porque não expandir e partilhar experiências? É o diferente que nos enriquece. Há trinta anos que não vivo nas Caldas mas o parque da Inês continua a ser o meu parque. Espero nunca entrar no blog e ver escrito ENCERRADO. Morto: é mais ou mesmo a mesma coisa....
Ai cachopa, se queres ser bonita, arrebita! Arrebita! Arrebita!
.
Ana Carvalho disse:
Eu por mim não quero pensar em acabar, agora tenho andado um pouco arredia mas as coisas estão a voltar ao normal, tou a ficar maluca como sempre.
Voltei!
Bjs
PP
.
LFS disse...
Sei que não é de grande valor o meu comentário, em primeiro lugar pela redundância perante todos os anteriores, e depois porque o João, no seu estimulante desafio, se encarregou à cabeça de lhe dar resposta, ao evidenciar a propriedade do nosso blogue.
Concretizando, se nós somos todos accionistas desta empresa, mais não nos resta do que criar as condições para a sua boa gestão. E a primeira é naturalmente nomear o Presidente e pedir-lhe que apresente o seu programa.Como além de accionistas também somos trabalhadores, subscrevo o compromisso por todos repetido de que procuraremos trabalhar com afinco para ajudar o Presidente na sua nobre tarefa.Parabéns João, pela tua nomeação para novo mandato de dois anos e, apesar de parco, conta com o meu contributo e o meu inequívoco empenhamento.
Já agora, sem mandato para tal, mas certo de interpretar o sentimento colectivo dos accionistas, deixo-te um voto de louvor pela iniciativa, determinação, criatividade e competência com que soubeste erguer um instrumento de comunicação que passou a fazer parte das nossas vidas.
LFS
.
Ana Lúcia disse:
Não estando dentro destes assuntos que envolvem o ERO e os seus antigos alunos arrisco-me provavelmente a dizer algo que não esteja correcto, no entanto gostaria de deixar uma pequena nota, e perdoa-me se “meto a pata na poça”.
Falo por mim, se não fosse ter visto o artigo na Gazeta das Caldas eu não saberia que esta teia de contactos tinha a sua existência. O blogg alargou os horizontes e o FaceBook completou a expansão pelo universo das memórias ERO. Sei que tudo isto dá muito trabalho e às vezes não é reconhecido devidamente. Eu estou longe para poder ajudar mas tenho a certeza que entre tantos colegas alguns poderão ajudar a aliviar a carga.
Penso também que uma vez que já há muita gente conhecedora destes encontros e alguns dos quais convivem diariamente no FaceBook estas novas tecnologias fazem com que os contactos e comunicações se mantenham e até que se iniciem outras. O nosso dever como ex-alunos ERO é cultivar esta união seja qual for o meio.
Para ti João, ficarei sempre agradecida pois reactivei amizades e iniciei outras. Um grande abraço e seja qual for o rumo que se levar penso que o mais importante é neste momento reconhecer os que contribuíram para que todos nós, em Porugal, França, Holanda, Estados Unidos e por outras partes deste planeta, possamos diariamente sentirmo-nos como se ainda estivéssemos nesses belos dias do Colégio Ramalho Ortigão.
Bem-hajas
Ana Lúcia
.
Isabel Knaff disse:
Até apanhei um susto quando li o ultimo post do Blog!!!Que pena seria acabar aqui um projecto tão interessante e de tanta importância colectiva!Reconstruíu-se a história do Ero e em parte tambem das Caldas.
Foi através do Blog que tomei conhecimento do primeiro Ero, que nem sabia que tinha existido, conheci novas pessoas, revi colegas que não via há 35 anos, e reatei amizades ... e revivemos o passado juntos.
Não imagino como prosseguir mas penso que entre tantos colegas e professores com boa vontade haverá ainda muitas estórias a contar.Comigo podem sempre contar
Beijinho
Isabel Caixinha
.
A. Justiça disse...
Caro João Jales
Não fui aluno do ERO. Frequentei a Bordalo Pinheiro de 1960 a 1966 e os breves contactos que tive com o ERO foi através do desporto, nomeadamente Volei-Bol, onde, apesar da rivalidade desportiva, sempre existiu entre as equipas um fair-play invejável e a adoptar pelos desportistas de hoje. Claro que, como não podia deixar de ser, o outro contacto era dedicado às lindas cachopas que frequentavam e ERO de então... garotices.
Não acredito que o vosso Blog vá encerrar, é uma ideia impensável até porque quando o comecei a seguir, quase diáriamente, comentei com assíduos leitores da Bordalo, onde me incluo com grande afecto e um não sei quê de melancolismo, que havia uma diferença latente entre os Blogs devido á qualidade da escrita de um e de outro. Para quem lê, um e outro, nota perfeitamente que o vosso, e se a tal me é permitido dizer, também meu, Blog não se limitou a recordar estórias do passado dourado da nossa juventude como, e isto foi primordial para que eu fosse um assíduo leitor, transformava, e espero que assim continue, essas histórias/estórias em perfeita e cativante leitura de primeirissima qualidade.
Há um tema que sempre desperta a curiosidade de todos nós, que partilhámos uma época rica em imaginação e criatividade, não esquecer que foi uma época em que tinhamos de inventar os nossos próprios brinquedos, brincadeiras e distracções... inventámos os bailes de garagem e de pátios, convenhamos que para muitos era a única maneira de nos encostar-mos um pouco mais a essas belas criaturas que fazem movimentar o mundo... e esse tema encontra-se "nos entretanto", isto é, entre essa "Bela Época" e o hoje.
O que fomos e o que somos, que caminhos trilhámos, que conhecimentos adquirimos, que alegrias, que tristezas, o que fizemos, o que deixámos... escrevemos um livro, procriamos, semeamos uma árvore? Há ainda uma inesgotável matéria para explorar mas uma coisa é certa... isto não pode acabar assim.
João Jales e todos os outros, temos obrigação, não para com os vindouros mas para connosco próprios de continuar, mais não seja porque o Blog tornou-se um excelente paliativo muito superior aos efeitos de conversa com qualquer psicólogo. Sentimo-nos bem depois de o ler. Nostálgicos, saudosos, sim... mas isso não é doença, antes pelo contrário, é sentirmo-nos vivos e capazes de rever o passado e orgulharmo-nos do que fomos e... continuamos a ser. Crianças.
A.Justiça (O Bordalês)
.
RP disse...
"E AGORA?" Agora,continue-se em frente...o"espírito" do Blog tem que ser preservado a fim de se concretizar em 2011!!!João Jales,conta com todos!
RP
.

João Do Rosário disse...
Seria uma perda pouco "saudável" para a memória de todos nós e, mais precisamente para a minha (nossa) singular Caldas da Rainha.
Parabéns ao João pela dinâmica que incutiu ao blog. Foram momentos de grande emoçáo em imagens e textos. O João manifestou muita tolerância quando propôs um texto (polémico) para que pudéssemos localizar pontos de vista diferentes e reflectir sobre eles. Não censurou e isso é sempre apreciável. Nunca convivi com o João, pois parece que não jogava futebol ?... No entanto, sempre achei graça (sempre que me lembro) quando ele chegava à sala de bilhares do Camaroreiro (já tarde na noite) e pedia ao Júlio (Matos Maia) que lhe fôsse buscar um Ritz.
Agora? Tem que se acreditar que é possivel dar continuidade ao projecto. Não deixem morrer o que tem sido um reconforto para a memória.
Não fui aluno do ERO. Pelo desporto estive próximo de alguns de vós e foi uma experiencia humana única.
Caro João Jales, obrigado.
.
Fernando Santos disse:
Olá J.J.!
Depois de ler todos os comentários já publicados, creio já não ter palavras para agradecer ao João Jales os bons momentos que passei visitando o blog do ERO quase todos os dias, e agradecer a atenção que me foi prestada mesmo sem ter sido aluno do Ramalho Ortigão.
Devo reconhecer que o J.J. anda extenuado! Já passa da meia noite e vejo que ainda está no gmail. Não só hoje, mas todas as noites, porque eu também costumo estar por aqui até às tantas!
E agora? Agora penso que depois de tantos elogios, certamente o Jales não vai deixar o blog morrer, e novos temas irão surgir. De momento não me ocorre nenhuma ideia, mas logo que seja oportuno aqui estarei para colaborar no que for possível.
Um abraço.
Fernando Santos.
.
Manuela Gama Vieira disse:
“Já são em número demasiado os que vieram ao mundo para combater e separar, alarguemos a todos a nossa simpatia." (Agostinho da Silva)
E AGORA?....
Começo por agradecer ao Jales e sua equipa, a amabilidade de me perguntarem...Agradeço porque se os objectivos foram atingidos e, diria eu, altamente superados, seria mais cómodo, entre o ponto final e o ponto de interrogação, optar pelo ponto final e “Livra-te disso!”...estava o assunto resolvido!
Li com interesse um texto de Agostinho da Silva no Blog - ESTAR PRESENTE- do nosso colega João Ramos Franco,de onde retirei este excerto:
“...Aceitemos como o melhor que foi possível tudo o que nos apresenta o passado; mas procuremos que seja outra a atitude que tomarmos; lancemos sobre a terra uma semente de renovação e de íntimo aperfeiçoamento.
...Reservemos para nós a tarefa de compreender e unir; busquemos em cada homem e em cada povo e em cada crença não o que nela existe de adverso, para que se levantem as barreiras, mas o que existe de comum e de abordável, para que se lancem as estradas da paz; empreguemos toda a nossa energia em estabelecer um mútuo entendimento; ponhamos de lado todo o instinto de particularismo e de luta, alarguemos a todos a nossa simpatia."
Não poderia ter encontrado melhor resposta para Vos dar, a uma pergunta tão fácil...mas tão difícil!
Contem com a minha modesta colaboração!
Manuela Gama Vieira
.
Guida disse...
Olha lá ó JJ! Esta cena do "E agora" não faz sentido algum; ou então é uma piadinha de muito mau gosto. Então deixas-nos assim sem mais aquelas e com um sabor amargo de ressaca? Ná! Eu cá na posso aceitar uma coisa destas. Pensa lá melhor, mas não nos deixes. Não te vais divorciar assim da gente.
Guida Santos

31 comentários:

Fátima Clérigo disse...

Como “seguidora “ atenta e Admiradora deste Maravilhoso Grupo de Ex-Alunos do ERO, permitam-me um comentário : Foi com alguma surpresa que me deparei com a questão – “E Agora?” Soou-me a derradeira…e nunca imaginei que este Blogue tivesse um fim anunciado.
O Vosso almoço/convívio constituiu (na minha modesta opinião) a maior expressão de União, de Reencontro, de Partilha, de efectiva Celebração de Vidas em Comum, com todas as emoções expressas na panóplia de comentários que lhe sucederam e na alegria patente nos bonitos rostos de todos, traduzidos em sorrisos, abraços, música e dança… AFECTOS !
É por demais evidente a riqueza Humana dos Ex-Alunos do ERO, os diversificados talentos: literários, musicais, narrativos, artísticos, etc., que não devem de forma alguma ser “desperdiçados”.
São “deliciosas” as Vossas estórias e as emoções expressas ao longo do tempo, sentem-se…
Estou convicta que muitos temas existirão para “alimentar” este Blogue e os talentos de todos manter-se-ão certamente vigorosos.
Penso que é unânime a convicção de que o JJ tem tido um notável Contributo, também ele diversificado, para manter viva a “chama” deste Blogue…Os meus sinceros Parabéns !
Só posso sentir-me agradecida por poder disfrutar deste Vosso “Mundo” e “observar” esta magnífica “corrente de mãos dadas”…
Se me é permitido, deixo-Vos um pedido: permitam que a Vida deste Blogue perdure…
Perante a questão: E agora ? E agora… nem pensar em alterar as reticências para um ponto final. Se puder de alguma forma contribuir… cá estarei.

Um Abraço a Todos

Fátima Clérigo

vasco disse...

podes continuar com a a ajuda de sempre

J.L. Reboleira Alexandre disse...

Caro JJ, em relação a este « E Agora ?» certamente que te lembras daquele icone publicitário, da nossa juventude:

E agora ? agora, bate-chapas e tinta Robialac !
O trabalho dos primeiros dispensamos pois salvo algumas, raras, excepções, a nossa «chaparia» está aí para as curvas. Quanto ao trabalho de pintura propriamente dito, uns ligeiros retoques aqui e ali na cosmética de alguns seria hipótese a considerar, sem com isto qurer dizer que é mesmo necessário. Afinal como diz a Fátima Clérigo no seu comentário, continuamos com os nossos, e transcrevo, bonitos rostos. Elas sobretudo, claro.

Sei que novas ideias, e novos temas aparecerão, e a pouco e pouco alguns dos «hidden readers» do blog do ERO nos irão surpreender com a partilha das suas estórias.

Já houve momentos muito altos neste local e estou certo de que muitos outros estão ainda para vir.

Abraço

Anónimo disse...

EU QUERO O MEU BLOGUE!
Não me lembro nada de teres dito que ia acabar em 2009 e se ja marcaste o próximo encontro para 2011 não faz sentido acabar agora!
Beijo.
L

Anónimo disse...

João
Definitivamente, o blog NÃO pode acabar!
Apesar de já terem passado dois anos, vão sempre surgindo novas e novas histórias, recordações e reencontros, pelo que tudo o que de bom tem acontecido nesta comunidade apenas pode prenunciar que a continuação do blog nos fará reviver cada vez mais novas situações passadas há muitos anos.
Não quero perder o hábito diário do nosso encontro no blog, embora a esmagadora maioria das vezes como espectador.
Fica desde já aqui o compromisso de, à medida das minhas disponibilidades de tempo, enviar muitas fotografias antigas que tenho, a maioria das quais da viagem de finalistas de 1972 (tiradas pelo Padre Xico e por mim).
Um abraço
Óscar

Anónimo disse...

João
Que grande análise!
Por mim, devo dar-te os parabéns pela iniciativa e, apesar de não contribuir muito, acho que seria de continuar. Apesar de tudo, o blog continua a ser um lugar de encontro de tantos de nós, antigos alunos do ERO. A tua imaginação, que já provou ser muito fértil, encontrará outros temas a partilhar e a comentar. Além disso, ainda falta a tão pedida legendagem das fotografias do último encontro. Há ali gente cujas caras me dizem alguma coisa, mas não sou capaz de identificar; por outro lado, há nomes que estiveram no encontro e que eu não reconheci nas fotografias, como é o caso, por exemplo, do Zé Manel Paes e do Rui Mouga.
Isabel VP

Júlia disse...

E agora!

Confesso que não esperava esta palavra,mas vou repeti-la para dizer: "e agora" vamos continuar...Não podemos nem devemos deixar que a Familia ERO se desmembre.Durante estes dois anos,ficou aqui bem demonstrado o quão importante foi este blogue.Ao ler e relembrar um ou outro artigo e respectivos comentários,aqueles encontros e Reencontros maravilhosos,as emocões e afectos,e...tantas coisas e tão lindas,o nosso blogue não pode ter um FIM! Ideias..não faltarão!
Caros colegas e amigos,que dizem?
João,no que puder e souber podes contar comigo.

Um Grande Abraço

Júlia Ribeiro

lauramorgado disse...

João,
Estou muito triste, nunca pensei que o blog era para acabar assim...
Eu só soube do blog por mero acaso, culpa minha, pois não ia aos almoços.
Mas sempre pensei que era para continuar. Nada indicava que tinha o fim anunciado para Novembro de 2009.
A minha colaboração foi pouca, mas não consigo ter mais disponibilidade.
Sei que não tenho a imaginação necessária, para contar estórias.
Mas esforçei-me nos comentários.
João o blog não pode acabar, isso significa o fim do nosso convivio.
Devo a este espaço o relembrar a parte da minha juventude passada no ERO.No almoço do dia 14 de Novembro, reencontrei colegas que não via desde 1966 o que foi muito gratificante. Sem o blog nada disto aconteceria!
Pensa bem!!!!!
Laurinha

Anónimo disse...

Temas para o Blogue do ERO.
O post "E Agora?", do João Jales, deu-me a entender que havia dificuldade em encontrar novos temas para lançar no Blogue.
Não me parece, até porque muitas das conversas que ouvi no Encontro poderiam ser esses novos temas.
O JJ, em busca solitária talvez não os veja, mas todos nós, comentadores, temos de o ajudar; o blogue é o local onde nos encontrámos, reencontrámos e recordámos, e não pode nem deve parar, temos o dever de contribuir para que tal não aconteça.
Criar uma comissão, entre nós, será o modo de dar continuidade a todo este processo. A reunião de 14 de Novembro deve-se ao Coordenador e a nós compete retribuir ajudando a manter o Blogue.
Meus caros colegas, reflectir e avançar, criar uma comissão que colabore com João Jales é a minha proposta, estou disponível para ajudar, mas conto com a vossa resposta à minha sugestão.
Um abraço amigo
João Ramos Franco

lauramorgado disse...

O João Ramos Franco faz uma boa análise da situação.
Concordo com tudo o que ele diz e propõe.
Ele pede uma resposta e aqui tem a minha.
A minha disponibilidade não é tanto quanto a desejável, mas com boa vontade tudo se faz.
Um abraço grande para todos.
Laurinha

Anónimo disse...

É certo que devemos reflectir um pouco antes de responder às questões que nos são colocadas, mas eu sou, talvez, uma natureza impulsiva. E vou responder-te com a sinceridade de quem responde no momento, a quente, sob a primeira impressão, agora que penso nisso: se o blogue deve ou não continuar.

Livra-te disso!

Se te propuseste manter um blogue com um determinado fim e esse fim se cumpriu até muito acima das tuas expectativas, é porque é esta a altura da sua conclusão. Tudo o que seja prolongar o que tão bons resultados deu, só pode ser baixar o nível. A fórmula vai esgotar-se.

É certo que muitas pessoas lhe sentirão a falta, a começar por ti. Mas mesmo essa falte é boa porque pode significar o começo de uma outra coisa. Quando há um vazio há uma oportunidade de preenchê-lo.

Repara que a minha opinião vale o que vale. Não é para eu parecer boazinha, coisa a que não me prendo nunca; mas também não é para ser ostensivamente má, ou do contra, ou desconcertante.

É só um aviso amigo que apenas a ti se dirige!

Beijo

Isabel X

Anónimo disse...

Joãozinho
Vim espreitar e deparei-me com a pergunta - e agora?? Entrei no blog e tive um aperto no meu coração ... achei-o sem vida ...
Isto não está a acontecer …não acredito...porquê acabar o blog ? Foi graças a ele que durante estes 2 anos tanta gente se reencontrou e tantas emoções foram vividas !!!!!
Quantos episódios passados no ERO de que não teríamos conhecimento se não fosse através de ti ? sim eu sei que muita gente colaborou, mas foi através de ti, de todo o teu empenho, imaginação, trabalho, horas tiradas à familia... e a lista não fica por aqui, mas vou passar adiante pois agora, amigo, temos que seguir em frente... o blog não pode acabar João...Estás cansado , é? Os teus colaboradores não estão a responder como tu gostarias? (mea culpa…, ando sempre aqui “no fio” mas não te esqueço e quando é preciso estou presente ehehehehe), já não há mais temas ? eu não posso acreditar nisso pois a tua imaginação move montanhas...
Viste a quantidade de gente anterior a nós que esteve presente neste almoço de Novembro? (o tempo pareceu-me tão pouco para poder dar um abraço a todos os que conhecia...)
Como é que isto foi possível???? A resposta está no blog...
Pensa como é que conseguimos reunir mais gente em 2011 se tu desistires ? Não desistas ... pela minha parte farei o possível para ser mais presente (nem que seja só para descobrir o pessoal nas fotografias - eheheheh)

Sabes que reencontrei a Ana Lúcia graças a ti?, quando vi o nome tive um feeling que seria ela...fiquei tão contente que quando vi o email não resisti e escrevi-lhe directamente ... ainda há tanta gente para encontrar ... Tanta alegria escondida ... oh cachopo pensa bem, mesmo que não consigas ter a produção que tiveste durante dois anos,não importa… o que importa é continuar.

Ai rapaz agora é que vi as horas… perdi-me no tempo , só pensei que tinha que te responder de imediato ( se tiver erros desculpa mas escrevi ao sabor do que senti ...).
Beijinhos, um abracinho
Ana Nascimento

o das caldas disse...

E tb foi graças ao blog que encontrei a Ana com quem não privava há mais de 30 anos e fiz novas amizades.

cx disse...

É sempre com relutância que abordamos o fim (ainda que inevitável) das coisas que nos são gratas! E oh...como eu desejaria neste momento ter sugestões de temas que ainda pudessem ser tratados!! Pois...e agora? Eu também não sei! Sei apenas que se surgirem ideias, podem continuar a contar comigo, e com a minha modesta participação! Para mim o blog terá continuidade nas amizades que me proporcionou reatar (ou fazer)...e no regresso inevitável ás suas ruas de memórias!!

Bem hajam!

São Caixinha

Artur R. Gonçalves disse...

Não faço parte do número de ex-alunos ou ex-docentes do ERO. Não me recordo de ter estabelecido na época um contacto especial com essa comunidade académica a que não me sentia vinculado. Vivi os primeiros anos de vida nas CdR, mas não guardei desses tempos pretéritos memórias muito particulares que me fizessem sentir um exilado forçado noutras paragens. Quando descobri, por acaso, o Blog da Escola e, por arrastamento, o do Externato, acabei por ganhar o «vício» de os visitar com alguma frequência. Muito paulatinamente, comecei a recuperar algumas imagens perdidas dos verdes anos da minha infância e juventude. Tem sido um exercício bastante simpático. A tal ponto que depois de ter vencido uma certa resistência inicial, resolvi iniciar-me no envio de pequenos comentários. Nunca ousei propor-vos uma postagem de raiz, mas quem sabe se um dia destes não perderei o receio de ser entendido como um intruso e não me lanço nessa nova aventura. Assim o espaço que estou a utilizar neste momento se mantenha no ar. Com este formato ou com outro alternativo. Sendo assim, atrevo-me a responder directamente à questão que o meu amigo virtual João Jales me enviou esta manhã por correio electrónico. E agora? Bom, agora é continuar a caminhada com todos os voluntários que já se comprometeram a fazê-lo. Essa parece ser a vontade expressa pela «quase» totalidade dos comentaristas que me antecederam e que com toda a probabilidade me seguirão. A qualidade do produto final só pode depender da qualidade que os seus obreiros lhe imprimirem. A avaliar pelo que já foi feito no passado, não me custa a adivinhar o que o futuro nos poderá ainda reservar.

Guida Sousa disse...

No way,John...Out of the question... Over my dead body ... Not in your wildest dreams ...
(Este comment pretende também ser uma homenagem à reaparecida Drª Inês).
Viciaste centeanas de pessoas,agora atura-nos...
:-)

Anónimo disse...

Eu cá por mim, dentro das minhas modestas capacidades, continuava com o blogue. Quase 170 mil visitas em dois anos, tem um significado preciso, que não é possível ignorar.
Claro, isto é tudo muito bonito, mas tem que haver alguém que coordene (se não, é como diria um amigo meu:. «juntamo-nos todos e vão lá vocês!»). Se o JJ continuar para aí virado, menos mau... compreendo perfeitamente que possa estar cansado, mas haverá maneira de dar uma qualquer ajuda em concreto? E a tal antologia que já se falou diversas vezes, destes dois anos de textos desenhos e imagens? Há um testemunho incontornável sobre a cidade e um tempo histórico a ela associado que lá está presente. pelo menos é o que eu acho...
Abraço.
Zé Carlos Faria

LFS disse...

Sei que não é de grande valor o meu comentário, em primeiro lugar pela redundância perante todos os anteriores, e depois porque o João, no seu estimulante desafio, se encarregou à cabeça de lhe dar resposta, ao evidenciar a propriedade do nosso blogue.

Concretizando, se nós somos todos accionistas desta empresa, mais não nos resta do que criar as condições para a sua boa gestão. E a primeira é naturalmente nomear o Presidente e pedir-lhe que apresente o seu programa.

Como além de accionistas também somos trabalhadores, subscrevo o compromisso por todos repetido de que procuraremos trabalhar com afinco para ajudar o Presidente na sua nobre tarefa.

Parabéns João, pela tua nomeação para novo mandato de dois anos e, apesar de parco, conta com o meu contributo e o meu inequívoco empenhamento.

Já agora, sem mandato para tal, mas certo de interpretar o sentimento colectivo dos accionistas, deixo-te um voto de louvor pela iniciativa, determinação, criatividade e competência com que soubeste erguer um instrumento de comunicação que passou a fazer parte das nossas vidas.

LFS

ana lucia disse...

Joao,

Nao estando dentro destes assuntos que envolvem o ERO e seus antigos alunos arisco a provavelmente dizer algo que nao esteja correcto no entanto gostaria de deixar uma pequena nota, e perdoa-me se meto a pata na possa .
Falo por mim, se nao fosse ter visto o artigo na Gazeta das Caldas eu nao saberia que esta teia de contactos tinha a sua existencia. O blogg alargou os horizontes e o FaceBook completou a expancao pelo universo das memorias ERO. Sei que tudo isto da muito trabalho e as vezes nao e reconhecido devidamente. Eu estou longe par poder ajudar mas tenho a certeza que entre tantos colegas alguns poderam ajudar a aliviar a carga. Penso tambem que uma vez que ja ha muita gente conhecedora destes encontros e alguns dos quais convivem diariamente no facebook estas novas tecnologias faram com que os contactos e comunicacoes se mantenham e ate iniciem outras. O nosso devere como ex-alunos ERO e cultivar esta uniao seja qual for o meio.

Para ti Joao, ficarei sempre agradecida pois reativei amizades e iniciei outras. Um grande abraco e seja qual for o rumo que se levar penso que o mais importante e neste momento reconhecer os que contribuiram para que todos nos, em Porugal, Franca, Holanda, Estados Unidos,e por outras partes deste planeta, possamos diariamente sentirmo-nos como se ainda estivessemos nesses belos dias do Colegio Ramalho Ortigao. Bem Haja

Ana Lucia

Anónimo disse...

Caro João Jales
Não fui aluno do ERO. Frequentei a Bordalo Pinheiro de 1960 a 1966 e os breves contactos que tive com o ERO foi através do desporto, nomeadamente Volei-Bol, onde, apesar da rivalidade desportiva, sempre existiu entre as equipas um fair-play invejável e a adoptar pelos desportistas de hoje. Claro que, como não podia deixar de ser, o outro contacto era dedicado ás lindas cachopas que frequentavam e ERO de então... garotices. Não acredito que o vosso Blog vá encerrar, é uma ideia impensável até porque quando o comecei a seguir, quase diáriamente, comentei com assíduos leitores da Bordalo, onde me incluo com grande afecto e um não sei quê de melancolismo, que havia uma diferença latente entre os Blog's devido á qualidade da escrita de um e de outro. Para quem lê, um e outro, nota perfeitamente que o vosso, e se a tal me é permitido dizer, também meu, Blog não se limitou a recordar estórias do passado dourado da nossa juventude como, e isto foi primordial para que eu fosse um assíduo leitor, transformava, e espero que assim continue, essas histórias/estórias em perfeita e cativante leitura de primeirissima qualidade. Há um tema que sempre desperta a curiosidade de todos nós, que partilhámos uma época rica em imaginação e criatividade, não esquecer que foi uma época em que tinhamos de inventar os nossos próprios brinquedos, brincadeiras e distracções... inventámos os bailes de garagem e de pátios, convenhamos que para muitos era a única maneira de nos encostar-mos um pouco mais a essas belas criaturas que fazem movimentar o mundo... e esse tema encontra-se "nos entretanto", isto é, entre essa "Bela Época" e o hoje. O que fomos e o que somos, que caminhos trilhámos, que conhecimentos adquirimos, que alegrias, que tristezas, o que fizemos, o que deixamos... escrevemos um livro, procriamos, semeamos uma árvore? Há ainda uma inesgotável matéria para explorar mas uma coisa é certa... isto não pode acabar assim. João Jales e todos os outros, temos obrigação, não para com os vindouros mas para connosco próprios de continuar, mais não seja porque o Blog tornou-se um excelente paliativo muito superior aos efeitos de conversa com qualquer psicólogo. Sentimo-nos bem depois de o lêr. Nostálgicos, saudosos, sim... mas isso não é doença, antes pelo contrário é sentirmo-nos vivos e capazes de rever o passado e orgulharmo-nos do que fomos e... continuamos a ser. Crianças.
A.Justiça (O Bordalês)

Anónimo disse...

"E AGORA?" Agora,continue-se em frente...o"espírito" do Blog tem que ser preservado a fim de se concretizar em 2011!!!
João Jales,conta com todos!
RP

João Do Rosário disse...

Seria uma perda pouco "saudável" para a memória de todos nós e, mais precisamente para a minha (nossa) singular Caldas da Rainha. Parabéns ao João pela dinâmica que incutiu ao blog. Foram momentos de grande emoçáo em imagens e textos. O João manifestou muita tolerância quando propôs un texto (polémico) para que pudéssemos localizár pontos de vista diferentes e reflectir sobre eles. Não censurou e isso é sempre apreciável. Nunca convivi com o João, pois parece que não jogava futebol ?... No entanto, sempre achei graça (sempre que me lembro) quando ele chegava à sala de bilhares do Camaroreiro (já tarde na noite) e pedia ao Júlio (Matos Maia) que lhe fôsse buscar um Ritz.
Agora ? Tem que se acreditar que é possivel dár continuidade ao projecto. Não deixem morrer o que tem sido, um reconforto para a memória. Não fui aluno do ERO. Pelo desporto estive próximo de alguns de vós e foi uma experiencia humana única. Caro João Jales, obrigado.

Anónimo disse...

Seria uma perda pouco "saudável" para a memória de todos nós e, mais precisamente para a minha (nossa) singular Caldas da Rainha. Parabéns ao João pela dinâmica que incutiu ao blog. Foram momentos de grande emoçáo em imagens e textos. O João manifestou muita tolerância quando propôs un texto (polémico) para que pudéssemos localizár pontos de vista diferentes e reflectir sobre eles. Não censurou e isso é sempre apreciável. Nunca convivi com o João, pois parece que não jogava futebol ?...
No entanto, sempre achei graça (sempre que me lembro) quando ele chegava à sala de bilhares do Camaroreiro (já tarde na noite) e pedia ao Júlio (Matos Maia) que lhe fôsse buscar um Ritz.
Agora ? Tem que se acreditar que é possivel dár continuidade ao projecto. Não deixem morrer o que tem sido, um reconforto para a memória. Não fui aluno do ERO. Pelo desporto estive próximo de alguns de vós e foi uma experiencia humana única. Caro João Jales, obrigado.

João Do Rosário
joao.do.rosario@hotmail.fr

Anónimo disse...

Eu cá por mim, dentro das minhas modestas capacidades, continuava com o blogue. Quase 170 mil visitas em dois anos, tem um significado preciso, que não é possível ignorar.
Claro, isto é tudo muito bonito, mas tem que haver alguém que coordene (se não, é como diria um amigo meu:. «juntamo-nos todos e vão lá vocês!»). Se o JJ continuar para aí virado, menos mau... compreendo perfeitamente que possa estar cansado, mas haverá maneira de dar uma qualquer ajuda em concreto? E a tal antologia que já se falou diversas vezes, destes dois anos de textos desenhos e imagens?
Há um testemunho incontornável sobre a cidade e um tempo histórico a ela associado que lá está presente. Pelo menos é o que eu acho...
Abraço.
Zé Carlos Faria

Anónimo disse...

E agora?! confesso que me custou ler este "e agora?"! Já que não sabem o que fazer com o passado, talvez fosse melhor começarem a relacionar-se pelo presente. O que fazem? Para onde vão? O que vos resta dos sonhos? Continuam a trabalhar para os cumprir? Largaram esses e ganharam outros? Chegou a hora de ser verdadeiramente criativo, ou fechar a loja. Tanta gente! Estão mesmo dispostos a arrumar as botas? Tanto mar! Apesar de estar fechada em casa, sem o poder ver e cavalgar!
Laurinda Ferreira (1/12)

Anónimo disse...

Eu por mim não quero pensar em acabar, agora tenho andado um pouco arredia mas as coisas estão a voltar ao normal, tou a ficar maluca como sempre.
Voltei!
Bjs
PP

Anónimo disse...

Desculpa a acutilância da mensagem anterior, mas fico sempre muito irritada quando vejo baixar os braços perante algo que considero importante. O que parece violência é apenas veemência...Já há tantos desistentes neste país!
Temas? A Inês saiu para a rua com a máquina fotográfica e as fotos delas despoletam, certamente, memórias e emoções. Porque não construir algo com base em imagens do presente, sem obrigatoriamente remeter para a experiência comum do ERO?
Apercebi-me de que, como eu, muitas pessoas que nunca frequentaram o ERO visitam este espaço, talvez seja uma forma de as inserir no blog sem que se sintam fora do tempo e do espaço. A realidade que conheceram, enquanto alunos do ERO, limitou-vos o conhecimento de outras realidades. Porque não expandir e partilhar experiências? É o diferente que nos enriquece. Há trinta anos que não vivo nas Caldas mas o parque da Inês continua a ser o meu parque. Espero nunca entrar no blog e ver escrito ENCERRADO. Morto: é mais ou mesmo a mesma coisa....

Ai cachopa, se queres ser bonita, arrebita! Arrebita! Arrebita!

Laurinda Ferreira (2/12)

Anónimo disse...

Até apanhei um susto quando li o ultimo post do Blog!!!Que pena seria acabar aqui um projecto tão interessante e de tanta importância colectiva!Reconstruíu-se a história do Ero e em parte tambem das Caldas.
Foi através do Blog que tomei conhecimento do primeiro Ero, que nem sabia que tinha existido, conheci novas pessoas, revi colegas que não via há 35 anos, e reatei amizades ... e revivemos o passado juntos.
Não imagino como prosseguir mas penso que entre tantos colegas e professores com boa vontade haverá ainda muitas estórias a contar.Comigo podem sempre contar

Beijinho
Isabel Caixinha

Anónimo disse...

Olá J.J.!
Depois de ler todos os comentários já publicados, creio já não ter palavras para agradecer ao João Jales os bons momentos que passei visitando o blog do ERO quase todos os dias, e agradecer a atenção que me foi prestada mesmo sem ter sido aluno do Ramalho Ortigão.
Devo reconhecer que o J.J. anda extenuado! Já passa da meia noite e vejo que ainda está no gmail. Não só hoje, mas todas as noites, porque eu também costumo estar por aqui até às tantas!
E agora? Agora penso que depois de tantos elogios, certamente o Jales não vai deixar o blog morrer, e novos temas irão surgir. De momento não me ocorre nenhuma ideia, mas logo que seja oportuno aqui estarei para colaborar no que for possível.

Um abraço.
Fernando Santos.

Anónimo disse...

“Já são em número demasiado os que vieram ao mundo para combater e separar, alarguemos a todos a nossa simpatia." (Agostinho da Silva)
E AGORA?....
Começo por agradecer ao Jales e sua equipa, a amabilidade de me perguntarem...Agradeço porque se os objectivos foram atingidos e, diria eu, altamente superados, seria mais cómodo, entre o ponto final e o ponto de interrogação, optar pelo ponto final e “Livra-te disso!”...estava o assunto resolvido!
Li com interesse um texto de Agostinho da Silva no Blog - ESTAR PRESENTE- do nosso colega João Ramos Franco,de onde retirei este excerto:
“...Aceitemos como o melhor que foi possível tudo o que nos apresenta o passado; mas procuremos que seja outra a atitude que tomarmos; lancemos sobre a terra uma semente de renovação e de íntimo aperfeiçoamento.
...Reservemos para nós a tarefa de compreender e unir; busquemos em cada homem e em cada povo e em cada crença não o que nela existe de adverso, para que se levantem as barreiras, mas o que existe de comum e de abordável, para que se lancem as estradas da paz; empreguemos toda a nossa energia em estabelecer um mútuo entendimento; ponhamos de lado todo o instinto de particularismo e de luta, alarguemos a todos a nossa simpatia."
Não poderia ter encontrado melhor resposta para Vos dar, a uma pergunta tão fácil...mas tão difícil!
Contem com a minha modesta colaboração!
Manuela Gama Vieira

Guida disse...

Olha lá ó JJ! Esta cena do "E agora" não faz sentido algum; ou então é uma piadinha de muito mau gosto. Então deixas-nos assim sem mais aquelas e com um sabor amargo de ressaca? Ná! Eu cá na posso aceitar uma coisa destas. Pensa lá melhor, mas não nos deixes. Não te vais divorciar assim da gente.
Guida Santos