ALMOÇO / CONVÍVIO

ALMOÇO / CONVÍVIO

Os futuros almoços/encontros realizar-se-ão no primeiro Sábado do mês de Outubro . Esta decisão permitirá a todos conhecerem a data com o máximo de antecedência . .
.
.

C O M E N T Á R I O S

.
Manuela Gama Vieira disse:
Recordo com estima e saudade o meu Professor de “Físico- Química”, Dr. Jaime Serafim.A Isabel Xavier, mais nova que eu, penso, referiu que o Dr. Serafim “ainda se tornou muito melhor, depois da “experiência poética” que foi o seu estágio profissional, orientado por Rómulo de Carvalho”. Se ele se lembrar de mim, sabe que a secção de Ciências- Física e Química incluídas- nunca suscitou a minha simpatia, mas a culpa não era do Professor que, tal como o poeta, poderá dizer-me, com toda a razão: “Procurei responder às suas prováveis interrogações, sempre do modo mais simples”. Dr. Serafim, saúdo-o com um abraço de saudade, e dedico-lhe este poema do “meu” António Gedeão, “seu” Rómulo de Carvalho:

Poema do Coração

"Eu queria que o Amor estivesse realmente no coração,
e também a Bondade,
e a Sinceridade,
e tudo, e tudo o mais, tudo estivesse realmente no coração
Então poderia dizer-vos:
"Meus amados irmãos,
falo-vos do coração",
ou então:
"com o coração nas mãos".
Mas o meu coração é como o dos compêndios
Tem duas válvulas ( a tricúspide e a mitral)
e os seus compartimentos (duas aurículas e dois ventrículos).
O sangue a circular contrai-os e distende-os
segundo a obrigação das leis dos movimentos.
Por vezes acontece
ver-se um homem, sem querer, com os lábios apertados
e uma lâmina baça e agreste, que endurece
a luz nos olhos em bisel cortados.
Parece então que o coração estremece.
Mas não.
Sabe-se, e muito bem, com fundamento prático,
que esse vento que sopra e ateia os incêndios,
é coisa do simpático.
Vem tudo nos compêndios.
Então meninos!
Vamos à lição!
Em quantas partes se divide o coração?"

António Gedeão
.
Depois de se ter feito silêncio, porque se disse poesia, um rasgado elogio à São, a desenhadora/caricaturista residente do nosso blog, por avivar e fazer recordar, de forma fidedigna, os nossos Professores! Manuela G V
.
oscoliv disse...
Pouco dado a absolutismos, como sou, julgava que teria muita dificuldade em classificar qualquer um dos meus professores no colégio como o melhor. No entanto, remexendo nas memórias de todos os professores, não tenho dúvidas em afirmar que, de excepção, embora por motivos diferentes, apenas tive dois professores: Jaime Serafim e Figueiredo Lopes. Só que a continuidade dos últimos cinco anos do colégio naquelas que eram para mim as duas cadeiras mais importantes (Matemática e Físico-Químicas) não podem deixar de colocar o dr. Serafim num lugar muito especial na minha formação. No entanto, não esqueço que, no que respeita à Matemática, o dr. Serafim apenas continuou o que o dr. Figueiredo Lopes iniciara no meu 1.º ano, e que teve um momento menos bom no 2.º ano, com o dr. Azevedo (de quem ainda hoje julgo ter sido o professor que mais sabia, mas que deixava algo a desejar no plano pedagógico).
Num outro plano, o das relações humanas e da amizade, não posso esquecer o Padre Xico, que me veio a casar seis anos depois de eu ter saído do colégio, com quem mantive frequente contacto enquanto vivi em Lisboa, o que me proporcionou sempre uma palavra amiga e de orientação nas dificuldades que a vida me trouxe e que há cinco anos não deixou de estar presente para celebrar os meus vinte e cinco anos de casado.
Ao ler o artigo sobre o dr. Serafim não pude deixar de o recordar e de lhe juntar o dr. Figueiredo Lopes e o Padre Xico, que foram os professores que mais me marcaram pela positiva nos sete anos que estive no colégio.
Aqui fica lavrado o meu profundo reconhecimento.
Oscar Oliveira
.
JJ disse:
O Dr. Jaime Serafim foi um dos melhores professores que conheci no Externato Ramalho Ortigão. Tinha brio profissional (nunca o vi dar uma aula sem estar seguro da matéria), capacidade para transmitir os seus conhecimentos (vi-o explicar a mesma coisa de duas e três formas diferentes), gosto por dar aulas (ao contrário de outros professores, ele apreciava o protagonismo do estrado), enfim, muito empenho em fazer bem o que era a sua tarefa: ensinar.
A caricatura da São é sensacional, está muito bem apanhado o Dr. Serafim, parece que adivinho gestos e movimentos no desenho....
O texto da Isabel é excelente e parece, desta vez , de leitura mais linear. Mas com a Isabel nunca se sabe.... Vou ler outra vez!
.
Luisa disse:
Tenho as melhores recordações do professor Jaime Serafim,que julgo muito bem retratado aqui pela Isabel e pela São. Está realmente muito gira a caricatura.
Apesar de tudo havia na sua forma de humor algum exagero e a história com a Lena Xavier mostra isso mesmo. Mas a sua dedicação às aulas e aos alunos era muito grande. Só não concordo com o Óscar quando diz que ele e o Dr. Lopes eram os melhores professores do Colégio porque acho que a Dra. Inês, por exemplo, também era uma grande professora.
Obrigado Dr. Serafim,gostei de o ver nas fotos do jantar com o Jales, a sua cunhada e as amigas!Luisa
.
Zé Carlos Faria disse:
O Dr. Jaime Serafim foi dos melhores professores que tivemos. A exigência de disciplina ia a par com facetas de extraordinário bom humor. Bastava ouvi-lo com um mínimo de atenção, porque beneficiávamos de um lote excelente de situações: aulas bem preparadas, matéria convenientemente explicada, interesse pelo estímulo à capacidade de aprendizagem dos alunos, possibilidade de tomar a voz para colocar questões, gosto pelas experiências, o que em Físico-Química fazia toda a diferença. Pensar, p. ex, a Química apenas como um rol esotérico de fórmulas livrescas, deve ser frustrante e um enjoo. E sabemos bem que em muito lado era assim (e cara alegre)....
Agora o dueto do professor veterano às casquinadas com a «rookie» do Pedagógico, acabadinha de chegar, devia ter sido curioso de observar, digo eu...
Excelente texto,muito expressiva a caricatura,parabéns às autoras.
José Carlos Faria
.
Júlia Ribeiro disse:
Parabéns à São pela magnífica caricatura, pois logo que abri o blog e apareceu um pouquinho da cabeça, disse: eis o Dr. Serafim.
Achei o texto da Isabel Xavier muito interessante pois retrata muito bem o professor e a pessoa do Dr. Serafim.
As coincidências acontecem e cá está outra....mais uma vez, aqui está um professor que se estreia nas suas "lides pedagógicas" acabado de sair da Faculdade e direito ao Ramalho Ortigão. Foi meu professor de Físico-Química no 7º ano (1964/65) ,um ano de responsabilidade e olhem que não se saiu nada mal .....saiu-se até muito bem ! Foi um dos excelentes professores que tive e uma pessoa extraordinária, imagino como seria depois do Estágio no Liceu Pedro Nunes com a sua "experiência poética".
É um dos vários professores com quem felizmente continuo a ter contacto, em almoços do ERO e, há pouco tempo, como foi noticiado aqui no blog pelo nosso "General".....É sempre um prazer revivermos uma época tão importante da nossa vida.
Dr. Jaime Serafim, lanço-lhe um desafio! Não me diga que não é desta vez que nos escreve umas palavrinhas? Não precisamos de muito, os seus alunos contentar-se-ão com pouco, queremos apenas a sua Amizade, e, portanto, “mãos à obra".
Recorde a frase que nos disse ao sair de minha casa cerca da meia noite :por vezes penso que devia escrever alguma coisa mas nesse momento não me apetece e quando me apetece deixo para depois....AGUARDAMOS TODOS........não deixe para depois!
Um grande beijinho para os três protagonistas deste artigo São CX, Isabel X e Dr. Serafim.
Júlia R
.
São Caixinha disse:
Bem hajas Isabel pelo excelente texto sobre o nosso querido professor Serafim! Não me vou pronunciar sobre a hipótese de poder ter sido o melhor professor do ERO... apenas sobre ter sido o melhor professor que eu tive! Sendo, de início, Fisico-Quimicas matéria pouco do meu agrado e considerando que consegui eventualmente obter boas notas e finalmente adorar o assunto (o que ainda hoje me surpreende, acreditem), concluo sem dificuldade que este facto invulgar só se pode ter ficado a dever à excelência dos seus métodos pedagógicos e ao seu carácter amigável e divertido.
Creio que, como muito bem diz o JJ, parte do sucesso se devia à diversidade de apresentação de um assunto, e concerteza, à clareza e objectividade com que o fazia. Recordo o Dr. Serafim com infinito reconhecimento e muito carinho!
Antes de terminar ainda isto...que talento o da Manuela para descobrir poemas tão extraordinários e adequados (este do António Gedeão não conhecia e adorei!) ...e o episódio que a Isabel conta sobre a Helena, está muito de acordo com o que recordo dela! Foi minha colega de carteira, creio que no terceiro ano, eu na segunda e ela atrás na terceira; batidinhas nas costas, segredinhos, trocas de mensagens em papelinhos...Na fila junto à janela, o sol a aquecer-nos no Inverno, o ar fresco da janela aberta na Primavera e a sua franca e genuína amizade o ano inteiro! E tendo em mente o Dr. Serafim...que saudades!! A frase do JCF "bastava ouvi-lo com um minimo de atenção"... vem aqui súbitamente muito a propósito...e esclarece-me o enigma do meu inesperado e benéfico sucesso! Se calhar foi mesmo o melhor professor do ERO!
São Caixinha
.
Isabel X disse...
São Caixinha,
Quero que saibas que tinha intenção de escrever sobre o Dr. Serafim, mas nunca pensei fazê-lo tão depressa. A "culpada" da minha brevidade foste tu! É que o JJ enviou-me a fantástica caricatura que havias feito do nosso professor, acompanhada da questão: "inspira-te?" e foi o que aconteceu... A inspiração não foi tanta, nem de longe, como a necessária à execução da caricatura,a que tu demonstras, mas paciência...
Obrigada São! E olha que para "apanhar" (caricaturar) assim alguém também é precisa uma boa dose de malícia...
- Isabel Xavier -
.
João Ramos Franco disse...
Gosto da imagem que a Isabel Xavier me transmite do Dr. Serafim. Gostaria de poder fazer o mesmo dos meus professores, mas os do meu tempo não davam as liberdades que ela conta. Porque será que não nasci uns anos mais tarde...
João Ramos Franco
.
Isabel Esse disse...
Não sou capaz de dizer que o Dr. Serafim foi o meu melhor professor mas digo que foi dos melhores!É como vocês escrevem:claro a explicar e sempre interessado e disponível para tirar dúvidas.Às vezes quando embirrava um bocadinho com alguém podia ser mauzinho,mas como nunca foi o meu caso,não tenho nada a dizer!!!E eu também nunca fui grande aluna a ciências...
Gostei muito das palavras da Isabel(lembro-me bem da Lena,mas não da história do ponto) e muito,muito da caricatura que está um espanto!É mesmo ele!!!
.
Ana Carvalho disse:
Olá, finalmente falou-se do doutor Serafim, estava a ver que ninguém se lembrava deste excelente professor, e excelente pessoa também, com um enorme sentido de humor, tal como retrata a Isabel Xavier no magnífico texto que escreveu, aliás já nos habituou a isso.
Também a caricatura está excelente. Bjs para as duas autoras, fantásticas como sempre. PP
.
oscoliv disse...
O entusiasmo da prosa apagou-me a ideia que tinha de felicitar a expressiva caricatura que ilustra o texto. Ainda bem que o JJ me lembrou e faço minhas as palavras dele: o boneco faz-nos adivinhar os gestos e movimentos que caracterizavam o dr. Serafim.
Oscar Oliveira
.
Laura Morgado disse:
Parabéns à São Caixinha pela caricatura tão expressiva do Dr. Serafim.
Era impossível não deixar aqui um agradecimento sincero, pela transmissão dos seus saberes, ao meu professor de Físico-Química do 6º e 7º ano.
Foi um professor em início de carreira que considero um bom pedagogo. As suas aulas ouviam-se com muito agrado pois, apesar da dificuldade da matéria, estava sempre disposto a explicar tanto quanto o necessário até que os seus alunos ficassem o mais esclarecidos possível.
Foi um Professor que me marcou e deixou saudades.
Dr. Serafim, muito obrigado por tudo o que se esforçou por nós.
Aproveito para reforçar o pedido da Júlia, escreva umas simples palavrinhas, pois ficaremos muito contentes.
Laura Morgado
.

3 comentários:

João Ramos Franco disse...

Gosto da imagem a Isabel Xavier me transmite do Dr. Serafim.
Gostaria de o poder fazer mesmo dos meus professores, mas os do meu tempo, não davam as liberdades que ela conta.
Porque será que não nasci uns anos mais tarde!...
João Ramos Franco

Isabel Esse disse...

Não sou capaz de dizer que o Dr. Serafim foi o meu melhor professor mas digo que foi dos melhores!
É como vocês escrevem:claro a explica esempre interessado e disponível para tirar dúvidas.Às vezes quando embirrava um bocadinho com alguém podia ser mauzinho,mas como nunca foi o meu caso,não tenho nada a dizer!!!E eu também nunca fui grande aluna a ciências...
Gostei muito das palavras da Isabel(lembro-me bem da Lena,mas não da história do ponto) e muito,muito da caricatura que está um espanto!É mesmo ele!!!

oscoliv disse...

O entusiasmo da prosa apagou-me a ideia que tinha de felicitar a expressiva caricatura que ilustra o texto. Ainda bem que o JJ me lembrou e faço minhas as palavras dele: o boneco faz-nos adivinhar os gestos e movimentos que caracterizavam o dr. Serafim.
Oscar Oliveira