ALMOÇO / CONVÍVIO

ALMOÇO / CONVÍVIO

Os futuros almoços/encontros realizar-se-ão no primeiro Sábado do mês de Outubro . Esta decisão permitirá a todos conhecerem a data com o máximo de antecedência . .
.
.

NOTAS DE UMA VISITA À EXPOSIÇÃO

por João Miguel Azevedo Santos



.
.
.
.
.
.
.
.-
.
.
.
.
.
.



A falta de rigor da Manuela é arrepiante, só desculpável por aquela simpatia agitada e agitadora! Mas há dois pontos que é imperioso clarificar:
-Não havia barrigudos no conjunto dos visitantes;
-A visita não «…foi especialmente agendada e meticulosamente preparada para os ex-alunos do ERO…», na base (da visita do dia 22) estavam os destinatários das sugestôes, o que inclui os ex-alunos do ERO. Mas o génio do Bonifácio excede a finitude destes grupos! Esta exposição é uma obra relevante da sua vida e é um legado à humanidade e, por um feliz acaso, teve a opotunidade de incluir uma estrangeira!

As notas que recolhi procuram registar os aspectos, as ideias, os vectores, as associações que o Bonifácio referiu e que emergem dos dois anos que dedicou ao «…estudo da figura de José Relvas, da Casa dos Patudos e de Alpiarça…», e que constituem a mais-valia de uma visita destas, pois não se podem captar, ou construir, numa visita vulgar:
-As varandas de José Relvas: a da Casa dos Patudos e a da Câmara de Lisboa!
-Vermelho e verde (foi uma hipótese de subtítulo da exposição): a agricultura e a revolução republicana, as grandes causas da vida de José Relvas;
-A determinação e empenho de José Relvas na revolução republicana: «…entre 1908 e 1910 fez tudo o que havia a fazer pela efectivação da revolução»
-A amizade com José Malhoa, demonstrada em dois passos, perdão, duas peças:
…..-Retrato do cão («Um frete que só se faz a um grande amigo» comentário do Bonifácio)
…..-Retrato de Velho - Malhoa desabafou «Como és como um irmão, a ti posso contar a verdade. O quadro foi recusado» (julgo que o Bonifácio estava a citar uma carta) e José Relvas comprou-o de imediato!




-A amizade com Rafael Bordalo Pinheiro, ilustrada em duas peças:
…..-Jarra Beethoven (em 1896 Relvas ainda não tinha casa para albergar a peça original, 2,8 metros, acabou por ficar com a réplica reduzida, em 1902)
…..-Busto de Rafael Bordalo Pinheiro – comprado, ao filho, no dia seguinte ao falecimento
-Como ministro das Finanças José Relvas abriu os quadros da Função Pública às mulheres e instituiu o Escudo como unidade monetária
-José Relvas foi embaixador em Madrid (cargo difícil, a revolução republicana era um mau exemplo e havia a tentação de a contrariar), mas reunia três condições essenciais a um bom desempenho (fortuna pessoal, fluência em francês e castelhano, uma mulher apresentável – o Bonifácio mostrou que sabe não ser sisudo…) e centrou a sua actividade em três vertentes:
…..-Informações – estabeleceu um corpo consular (pago, em grande parte, por ele) para acompanhar movimentos de tropas e financiamentos hostis
…..-Relacionamento Cultural – promoveu exposições de artistas portuguese em Madrid e trouxe artistas espanhóis a Portugal
…..-Celebração de um Tratado Comercial – «para evitar que a economia servisse de pretexto à política» (estas foram as palavras do Bonifácio; não sei se estava a citar alguém)
.
J M Azevedo Santos
...........................................................................................................................
COMENTÁRIOS
.
Aluna do ERO- Republicana disse:
Será que o tema da República não é suficientemente importante, sugestivo e actual, para merecer os nossos, antigamente tão assíduos, comentários?Não desiludam a República nem o "conspirador contemplativo" José Relvas!
.
João Jales disse:
Esta exposição é um SUCESSO! Reacendeu os fervores republicanos, mesmo na presença da nossa Princesa, reuniu os ex EROs , atraiu visitantes de longínquas paragens nórdicas, mostrou que o Bonifácio sabe não ser sisudo, acendeu mortais polémicas sobre as barrigas deles e a elegância delas, mostrou a versão cronista rigoroso (embora um pouco barrigudo...) do João Miguel, manteve o Nuno Mendes calado e, en passant, obrigou-nos a conhecer melhor um conspirador contemplativo (ou dois?).
Suponho que a ardente republicana ao escrever "os antigamente tão assíduos comentários" se refira aos comentários da semana passada. Tempus fugit...
Já disse ao João Serra, no seu blogue "oqueeuandei", o quanto apreciei a visita guiada, resta-me agradecer ao João Miguel e à Manuela os seus relatos, diferentes e complementares, dessa sua mesma experiência. Um abraço a todos. JJ
.
Luis disse:
Talvez seja a dimensão ética e a coerência política de José Relvas que mais marcam a diferença para os actuais governantes. Os diplomas "novas oportunidades" obtidos por Sócrates e Lurdes Rodrigues, as "actividades" de Dias Loureiro, Jorge Coelho, Ferreira do Amaral, Pina Moura, etc, mostram bem uma "nova forma" de estar na política.
Não sei se este comentário passa, que é que achas, oh JJ? Luis

2 comentários:

Aluna do ERO- Republicana disse...

Será que o tema da República não é suficientemente importante, sugestivo e actual, para merecer os nossos, antigamente, tão assíduos comentários?
Não desiludam a República nem o "conspirador contemplativo" José Relvas!

Anónimo disse...

Talvez seja a dimensão ética e a coerência política de José Relvas que mais marcam a diferença para os actuais governantes. Os diplomas "novas oportunidades" obtidos por Sócrates e Lurdes Rodrigues, as "actividades" de Dias Loureiro, Jorge Coelho, Ferreira do Amaral, Pina Moura, etc, mostram bem uma "nova forma" de estar na política.
Não sei se este comentário passa, que é que achas, oh JJ? Luis