ALMOÇO / CONVÍVIO

ALMOÇO / CONVÍVIO

Os futuros almoços/encontros realizar-se-ão no primeiro Sábado do mês de Outubro . Esta decisão permitirá a todos conhecerem a data com o máximo de antecedência . .
.
.

PROFESSORES E UM PASSEIO (Década de 50)

por Clara Frias
.
.
Vou tentar recordar-me dos nomes dos professores e de episódios passados entre os anos 1955 e 1962, no ERO.

Alguns Professores:


Português- Drª Maria Armanda

Ciências Naturais- Drª Margarida (1º Ciclo)
.
Francês e Inglês- Madame Albuquerque

História- Padre Luís Moita

Matemática- Dr.Azevedo

Geografia- Drª Maria Alda (?)

Fisico-Química- " O Serôdio" (não me lembro do nome)

Desenho-Eng. Cabral

Trabalhos Manuais- Prof.Mateus

Religião e Moral- Padre António Emílio

Lavores Femininos- D. Anita Nascimento

História- Dr. Sanches (2º Ciclo)

Fisico-Química- Dr. André (2º Ciclo)

Ciências Naturais- Drª Maria do Rosário

Naquele tempo,de uma maneira geral, os alunos eram bem comportados nas aulas, não havendo grandes episódios, que me lembre, com excepção das aulas de Fisico-Química, cujo professor era "O Serôdio". Nestas aulas, excepcionalmente, era "O Fim da Macacada"!As perguntas dos alunos eram as mais disparatadas, não tendo nada a ver com a matéria que se estava a dar, ao que ele respondia com palavrões, gritava, dava murros na secretária, expulsava alunos da aula ao pontapé, etc. Por vezes adormecia nas aulas e nós virávamos a sala de aula "de pernas para o ar"!



Piquenique a Salir do Porto, com o Grande Amigo e
Saudoso Padre António Emílio e a tão conhecida D.Dora



Saímos do Colégio,que na altura, era na Rua do Jardim (por cima do "Mário das Espingardas"), para apanhar o comboio até Salir.

A alegria foi constante, para esta turma do 2º Ano do Liceu.Chegados a Salir, fomos até à ponta da barra, pelos montes, cujo acesso era bastante difícil, sempre a cantar, aos saltos e com muita alegria.
Chegada a altura de decidir onde fazer o piquenique, cada um dava a sua opinião. Não se chegando a nenhuma conclusão, o Padre António Emílio disse que quem escolhia era ele!

E lá fomos para o cimo das dunas, onde dançámos, cantámos, ouvimos música e por fim "piquenicámos" o que, para nós, era o menos importante, pois o que queríamos era a brincadeira!

Depois dos "comes " o Padre António Emílio propôs que descessemos as dunas a rebolar e que haveria um prémio para quem conseguisse chegar lá abaixo. Todos o desafiámospara rebolar também e não é que ele aceitou o desafio, rebolando melhor do que qualquer um de nós! Claro que ganhou o prémio , que de imediato quis repartir por todos, o que nós não aceitámos, já que era um saco de bombons e rebuçados, o que foi mesmo a calhar, pois ele era guloso!

Agora, era a hora de regresso e lá fomos todos tristes para a Estação, apanhar o comboio para as Caldas.Tristes por o dia ter terminado, mas muito alegres pelo maravilhoso dia bem passado, apesar de cansados e cheio de areia.


Clara Frias

...............................................................................................................

COMENTÁRIOS

Isabel X disse:
É sempre mais feliz quem tem episódios felizes como este para recordar, que é o que acontece à Clara. Parabéns!
Este alegres convívios, apenas pelo convívio alegre, com menos objectivos, menos descritores, etc., talvez faltem agora às escolas. Também é muito positivo que o Padre António Emílio, a quem não conheci, surpreendesse desta maneira (rebolando) os alunos! Ah! é verdade! Salir era um lugar mágico para passeios deste género: junto à baía de S. Martinho do Porto...
- Isabel Xavier -


Luís disse:
Embora o tenha conhecido em miúdo,há uma vivência com o Sr. Padre Emílio que eu não tive, já que entrei para o E.R.O. no tempo do Padre Albino que não rebolava em lado nenhum,não encorajava e proibia todas as brincadeiras.Se até por pisar a relva se apanhavam dias de suspensão!!!
Parabéns e obrigado Clara por trazeres aqui memórias de um tempo anterior ao meu.
Luis
.
João Jales disse:
As memórias da década de 50 têm aparecido, embora não com a frequência que todos gostaríamos.
A lista de professores, ao ser acrescentada a outras já publicadas, permitirá uma mais fiel reconstituição do corpo docente do ERO ao longo dos anos. Mas há aqui pistas para esclarecimentos de outros contemporâneos: o Dr. Sanches também foi professor de História? Quem era o neolítico professor Serôdio?
Obrigado Clara por mais esta colaboração que evoca um tempo no ERO, como realça o Luis, com um ambiente diferente dos "anos de chumbo" do Padre Albino. Ficamos à espera de mais! JJ
.
Maria Helena Arroz disse:
Adorei recordar com a Clara os passeios às dunas.Lembrei-me de uma colónia de férias em Salir do Porto, em que as raparigas do ERO, passaram 15 dias de Verão numa grande barraca montada no sopé das dunas. Quando terminaram os 15 dias das raparigas, começaram os 15 dos rapazes.
Neste local verdadeiramente mágico passaram-se grandes aventuras. Seria muito giro ver alguma foto destas férias.Alguém tem uma?
Lena Arroz
.
Júlia R disse:
Olá Clara!Esta tua descrição do passeio a Salir veio recordar-me mais um dos muitos bons momentos que passámos com o nosso querido Padre António Emílio. A 1ª vez que subi as dunas de Salir foi precisamente num passeio com o P. António em que fomos no comboio do "correio" cerca das 10h30m da manhã ,com a sacola e respectiva comidinha para o famoso piquenique.Subimos as dunas e recordo-me da sensação que tive ao descer e ao rebolar por elas abaixo. Posteriormente, todas as vezes que as subia, pensava: custa a subir mas é tão agradável descer que vale a pena....por um lado a sensação de rebolar,por outro a lembrança da 1ª vez que por elas rebolei ......
Obrigada e um beijinho. Júlia R
.
João Ramos Franco disse:
Parece-me que na lista de professores existem dados que não estão correctos (ver BREVE HISTÓRIA DO EXTERNATO RAMALHO ORTIGÃO 1945-1973 1ª parte ):

Em 1955 ainda o Dr. Perpétua é Director.
Perpétua – Língua e História Pátria 1º ciclo, restantes ciclos Português
A Dr.ª Maria Armanda só começa a leccionar no 1º ano da Direcção Padre António Emílio
Quanto ao “Serôdio” era mesmo o seu apelido, mais precisamente Tenente Serôdio, (já era uma pessoa de idade e só foi professor durante um ano), ela esquece-se de contar que ele estava sempre de cigarro na boca e sujava-se todo de cinza do tabaco, o que contribuía também para as risadas durante a aula (estão a ver ele a falar e ao mesmo tempo a sacudir a cinza).
Quanto ao Dr. Sanches ter leccionado História está correcto, foi durante um ano, antes da entrada do Padre Luís Moita.
Gostei imenso do que a Clara Frias nos recorda, até porque partilhei algumas destes momentos, apesar de mais velho.
Continua as tuas memórias Clara, tivemos amigos comuns (Quim Zé Correia), deves-te recordar de histórias minhas e eu sei que os colegas não contam por receio de que eu fique melindrado. Está à vontade, o João Ramos Franco que conheceste amadureceu muito e tudo o que vivi no ERO pode ser contado no Blog.
Foi com prazer que li as tuas palavras.
O sempre amigo
João Ramos Franco
.
Júlia disse:
Há pelo menos um erro nas datas dos profs - A Drª Maria Armanda foi realmente prof de Português mas de 1960 a 1963, entrou no 3º ano da direcção do Padre António, no ano que começou a funcionar o colégio no edificio novo e esteve 3 anos. Bjs. Júlia

3 comentários:

Isabel X disse...

É sempre mais feliz quem tem episódios felizes como este para recordar, que é o que acontece à Clara. Parabéns!
Este alegres convívios, apenas pelo convívio alegre, com menos objectivos, menos descritores, etc., talvez faltem agora às escolas. Também é muito positivo que o Padre António Emílio, a quem não conheci, surpreendesse desta maneira (rebolando) os alunos! Ah! é verdade! Salir era um lugar mágico para passeios deste género: junto à baía de S. Martinho do Porto...
- Isabel Xavier -

Maria Helena Arroz disse...

Adorei recordar com a Clara os passeios às dunas.
Lembrei-me de uma colónia de férias em Salir do Porto, em que as raparigas do ERO, passaram 15 dias de Verão numa grande barraca montada no sopé das dunas.
Quando terminaram os 15 dias das raparigas, começaram os 15 dos rapazes.
Neste local verdadeiramente mágico passaram-se grandes aventuras. seria interessante arranjar alguma foto destas férias.Será que alguém tem?
Lena Arroz

Maria Helena Arroz disse...

Adorei recordar com a Clara os passeios às dunas.
Lembrei-me de uma colónia de férias em Salir do Porto, em que as raparigas do ERO, passaram 15 dias de Verão numa grande barraca montada no sopé das dunas.
Quando terminaram os 15 dias das raparigas, começaram os 15 dos rapazes.
Neste local verdadeiramente mágico passaram-se grandes aventuras. seria interessante arranjar alguma foto destas férias.Será que alguém tem?
Lena Arroz