ALMOÇO / CONVÍVIO

ALMOÇO / CONVÍVIO

Os futuros almoços/encontros realizar-se-ão no primeiro Sábado do mês de Outubro . Esta decisão permitirá a todos conhecerem a data com o máximo de antecedência . .
.
.

FROM SWITZERLAND WITH LOVE (Nani Barosa)


POST DE 16/01/2009, A PRIMEIRA INTERVENÇÃO DA NANI BAROSA NO BLOG




Olá João Jales



Primeiro que tudo, PARABÉNS! Este blog é um poço de memórias tão boas, tão bem lembradas, com tanta qualidade e interesse, que desde que o descobri, é raro o dia que não vá lá fazer uma visita, e sinto-me quase como uma espia... mas bem intencionada... só que me é muito penoso e dificil participar, porque as minhas memórias são tão passivas, tão longinquas, activando-se sim quando leio as histórias deliciosas de todos que participam activamente neste blogspot.

Provavelmente não te lembras de mim... sou a Ana Barosa (também conhecida por Náni). Frequentei o Externato Ramalho Ortigão de 1961 a 1968, e lembro-me de quase todos os que têm vindo a aparecer por aqui... alunos e professores.

Já que se está a falar de professores, destes últimos, talvez os que mais me marcaram foram os Padres António Emilio e Renato e o Dr. Lopes. O primeiro por quem tinha uma grande afeição, que era recíproca, e que deixou uma grande lacuna no ERO, após a sua partida. O segundo pela grande bondade e o carácter explosivo tão especial que tinha. Eu era sua aluna em Canto Coral, Latim e Religão e Moral (meninos e meninas, as praias são um estendal de carne impróprio para consumo, que pecado!). Antes de começar as aulas tinha o hábito de ver se eu e a Salette tínhamos make-up e, caso positivo, mandava-nos à casa de banho para nos lavarmos antes de começar a aula... depois, com o latim, tivémos a grande surpresa de eu ter conseguido a melhor nota do ano no país no exame do 7° ano (18!) o que foi um grande orgulho para ele e que me deixou estupefacta, pois, embora não fosse má aluna, aquilo foi mais uma questão de sorte, de fado... Numa das minhas regulares visitas a Portugal, nos anos 90, fui visitar o Padre Renato à Igreja em Tornada e ele ofereceu-nos um concerto de orgão divinal, mesmo com o órgão um pouco desafinado, assim como o seu famoso livro! Finalmente o terceiro professor, por ser uma pessoa tão especial, com uma atitude muito pragmática e ao mesmo tempo carinhosa e eficiente, embora eu não fosse boa aluna nas suas disciplinas (desenho e matemática), ele marcou-me bastante. Foi sem dúvida o melhor Professor que tive em termos didáticos e humanos.
De todos os ex-alunos que participam neste blog lembro-me especialmente dos alunos do ano superior ao meu. Como os meus grandes amigos (ainda hoje) Araújo e Xico Zé Fêo e Torres. Os que perdi de vista, a Helena Arroz, a Ana Nascimento, a Manuela e Helena Viera Pereira, etc. Dos do meu ano, não são muitos os que participam, mas vou vendo o João Miguel (a minha primeira paixão platónica de adolescente.....), o Rolim, o Nuno, haverá mais de certeza que eu não tenha visto ou que não me lembro agora.



Perdi praticamente todos de vista. Saí de Portugal em 1969, a familia foi para os Estados Unidos, onde vivi até 1981, altura em que me apaixonei por um Suiço e aqui vim parar a Zurique, onde ainda estou a viver, embora a paixão que me trouxe aqui fosse de pouca dura. Bom, já chega, tudo isto só para te dizer que é muito bom visitar-vos, é como se tivesse encontrado uma familia perdida no tempo...

Bem hajam! Beijinhos a todos.
Náni
.

8 comentários:

Isabel X disse...

Nada vou dizer de novo, apenas manifestar a minha concordância com os restantes comentários. É emocionante os lugares e as pessoas a que este blog chega, colocando em contacto aqueles a quem o tempo e a distância haviam separado há muito! Parabéns à Nani pela sensibilidade que emana do seu texto, ao Jales que é o mentor de tudo isto e a nós todos que também participamos no blog e nestes reencontros!
- Isabel Xavier -

Anónimo disse...

a chegada de novos colaboradores,melhor de leitores que decidem intervir,é a melhor garantia de continuidade e vitalidade do blogue.fui aluno dos dois professores referidos pela nani mas só convivi um ano com o padre antóno em. infelizmente. parabéns nani,espero que sejas muito feliz na suiça e deixa-te ficar por aí que a coisa aqui está preta,como dizia o chico buarque! jorge

Isabel Esse disse...

É destas surpresas que eu gosto-abrir o blogue e encontrar sempre algo inesperado que me emociona e comove.Nada melhor que estes reencontros,embora não sendo do ano da Ana Barrosa gostei muito de ler o seu texto e fiquei muito satisfeita por saber que quando abro o blogue à noite há colegas nossos em todo o mundo a lê-lo comigo.
Obrigado Ana por teres escrito!beijinhos Isabel

Isabel Esse disse...

É destas surpresas que eu gosto-abrir o blogue e encontrar sempre algo inesperado que me emociona e comove.Nada melhor que estes reencontros,embora não sendo do ano da Ana Barrosa gostei muito de ler o seu texto e fiquei muito satisfeita por saber que quando abro o blogue à noite há colegas nossos em todo o mundo a lê-lo comigo.
Obrigado Ana por teres escrito!beijinhos Isabel

jorge disse...

a chegada de novos colaboradores,melhor de leitores que decidem intervir,é a melhor garantia de continuidade e vitalidade do blogue.fui aluno dos dois professores referidos pela nani mas só convivi um ano com o padre antóno em. infelizmente.
parabéns nani,espero que sejas muito feliz na suiça e deixa-te ficar por aí que a coisa aqui está preta,como dizia o chico buarque! jorge

Inês disse...

Vim reler este post, porque reconheci a Salette lá no Encontro e senti saudades suas, Ana Barosa.
A propósito do livrinho do Padre Renato - que estou a ler com enorme emoção - gostava de saber mais sobre ele, o autor (como diria o "velho professor" Almeida). Quando nasceu, qd morreu.
Alguém me informa? Obrigada.

ana lucia disse...

Para a familia da Nani Barbosa os meus sentidos pesames. Ana Lucia

Guida disse...

Apesar de ser mais nova do que eu lembro-me muito bem da Nani Barosa. Sempre sorridente, alegre, simpática. Mais uma de nós que parte e deixa saudade. Lembra-nos que nada é eterno, tudo é fugaz. Adeus Nani.